Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Alunos de diferentes cursos da Faculdade Adventista da Bahia (Fadba), em parceria com mentores da instituição e interessados, realizam um projeto com duração de dez semanas com famílias da comunidade de Capoeiruçu, em Cachoeira. Eles “adotam” casas e, todos os sábados, visitam as famílias para auxiliá-las. É uma iniciativa educacional que objetiva a transformação.

O programa de ação inclui três aspectos: atenção à saúde básica, educação no lar e obra bíblica.

As atividades desenvolvidas compreendem o ensino de educação financeira, cuidados com a saúde, educação dos filhos, boas maneiras, desenvolvimento de atividades manuais e conscientização da importância do trabalho honesto e o estudo da Bíblia.

O projeto é uma iniciativa da Escola de Missões e realizado em parceria com o Instituto Missionário de Idiomas (IMI), Serviço Voluntário Adventista (SVA), Capelania Universitária, Escola Sabatina e Assistência Social Adventista (ASA).

Confira a reportagem sobre o projeto, exibida no programa Revista Novo Tempo, da TV Novo Tempo:

Relevância social

O pastor Juan Choque, mentor do projeto, explica que desde suas origens, a Faculdade Adventista da Bahia, especificamente os cursos de saúde, estão orientados a formar missionários para o Brasil e o mundo. Mas esse trabalho de formação não é possível se não for iniciado com os alunos assim que chegam à instituição.

O propósito do projeto é que continue e alcance mais pessoas a cada semestre. Eles também prepararam jovens para realizarem atividades missionárias nos seus locais de origem, para outras cidades e até outros países.

“O objetivo é o amor, a conexão. Esse amor é a base da missão. Quando não se tem amor, é apenas um trabalho. Quando nós estamos seguros desse amor, então eles terão aprendido a necessidade de chegar a casas carentes, com necessidades econômicas ou afetivas. Assim, entrarão em uma relação para apresentar a Cristo. Esse era o método de Cristo, ganhava a confiança, satisfazia as necessidades e logo depois dizia: siga-me”, ressalta Choque.

Além da rotatividade de pessoas, todos os semestres são formados e nomeados novos “mentores“, que dão continuidade à iniciativa e lideram novas equipes. O desafio deste ano é expandir os atendimentos para famílias de classe média. Os alunos devem estar preparados para atender e lidar com todos os públicos. O projeto auxilia e desenvolve a formação de líderes através do desempenho das diferentes funções propostas.

O encerramento das atividades propõe apresentar imagens e trazer depoimentos de pessoas que foram beneficiadas pelo projeto, sendo mentoriado, mentor ou integrante das famílias atendidas. Professores e funcionários disponibilizam seus carros para transportar os voluntários todos os sábados para realizar as visitas e estes também são destacados nos encontros. A proposta do projeto é a de que “Juntos, vamos além”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •