Oito crianças tiveram a oportunidade de visitar o Museu da Cidade de Manaus, por meio do projeto “Uma Tarde no Museu”. A iniciativa da presidente do Fundo Manaus Solidária, primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, visa proporcionar a crianças, jovens e idosos de bairros periféricos, em situação de vulnerabilidade ou atendidas por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos, o contato com a história e cultura da cidade.

A instituição que visitou o Museu da Cidade foi a Associação de Apoio à Criança com HIV – Casa Vhida, que trabalha oferecendo assistência às famílias e abrigo para crianças/adolescentes em situação de vulnerabilidade social portadores do HIV, além de desenvolver atividades socioeducativas para o resgate de vínculo familiar, social e afetivo.

Para a orientadora social na Casa Vhida, Shelzea Vieira, 28, a oportunidade de visitar um museu é uma riqueza cultural muito grande para essas crianças. “A iniciativa do Fundo é muito importante, porque muitas vezes os moradores da cidade não dão tanto valor para o que a cidade tem a oferecer e as crianças estão aprendendo a dar valor desde cedo”, disse.

Apesar de muitos moradores não darem valor, como Shelzea sugeriu, Grace Perdigão, que faz parte da Diretoria de Cultura do Museu da Cidade, afirmou que o manauara tem tomado um grande sentimento pelo Museu, se aproximando de itens da cultura local e das novidades, como as salas tecnológicas.

“Ainda mais agora com o projeto ‘Uma Tarde no Museu’, que aproxima o nosso Museu daqueles grupos que não têm o hábito de frequentar espaços culturais por diversos motivos. A mescla de crianças, jovens e idosos é ótima, porque dá oportunidade a muitas faixas etárias de conhecer o Museu”, acrescentou.

A assessora técnica do Serviço Social do Fundo Manaus Solidária, Francisca Freitas, deixou claro que a experiência de visitar o Museu com as crianças foi encantadora. “É incrível, para nós do Fundo, ver a magia das crianças ao perceberam a história da nossa cultura, dos nossos rios. É isso que queremos ver nessas visitas”, comentou.

Para as crianças, o passeio foi uma diferença nas rotinas da Casa Vhida. Uma criança, quando questionada sobre o que mais gostou, não hesitou em falar: “A sala do Thiago de Mello! Eu gostei dos poemas”. Já para outra, a atração principal foi a sala em que as pessoas falam sobre como é morar em Manaus e logo depois mergulham no rio.

O Museu da Cidade está aberto de terça-feira a domingo, das 9h às 17h, com última visita se iniciando às 16h20, e está localizado em frente à Praça Dom Pedro II, Centro.