Redução da malária no Amazonas é destaque no mais importante fórum sobre a doença no Brasil - Fato Amazônico

Redução da malária no Amazonas é destaque no mais importante fórum sobre a doença no Brasil

Os avanços no combate à malária no Brasil e particularmente no Amazonas, Estado onde em 2007 foram registrados 200 mil casos e que caminha para fechar 2013 com 73 mil, foram os principais destaques da abertura oficial da13ª Reunião Nacional de Pesquisa em Malária, ontem a noite, no salão Rio Solimões do Centro Cultural Palácio Rio Negro, no Centro.

O governador em exercício, José Melo, que participou do evento ao lado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, dosecretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, edo secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, afirmou que a drástica redução do número de casos só foi possível porque no Estado há políticas públicas voltadas para a redução de endemias, o que faz com que as parcerias entre o Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus funcionem bem.

“O Governo do Estado tem destinado grande aporte de recursos, tanto para as pesquisas quanto para as ações de combate à malária e à dengue”, disse Melo, ao enaltecer a excelência dos trabalhos de pesquisas realizados pelos pesquisadores do Amazonas em relação à doença. A reunião, que se estende até sábado,é considerada o maior fórum de debates do Brasil voltado para profissionais e estudiosos da malária.

Em uma reunião que antecedeu a abertura do evento, na tarde desta quarta-feira, da qual participaram Wilson Alecrim, o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, e a diretora presidente da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMF/HVT), Graça Alecrim, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, comprometeu-se em ampliar o valor do repasse para o controle da malária, principalmente entre a população indígena.

Apesar de nos últimos anos ter havido redução acentuada do registro de casos da mortalidade de um modo geral no Brasil e no Amazonas, os cerca de 180 mil indígenas existentes no Estado são hoje a população mais vulnerável à doença. Cerca de 30% dos casos registrados no Estado são nessa população. Outro detalhe enfatizado no evento foi a quase extinção da malária do tipofalsíparum. Segundo a diretora presidente da FMT/HVT, Graça Alecrim, praticamente não tem sido registrado mais esse tipo da doença na fundação, que é a referência para o tratamento de malária. Hoje, apenas 10% dos casos registrados são do tipofalsíparume o restante, do tipoplasmódium, o que, segundo ela, exige novas abordagens, daí a importância de eventos como este.

Programação– A palestra de abertura ficou a cargo de Jarbas Barbosa, que falou sobre as ‘Novas Propostas do Programa Nacional de Pesquisa em Malária’, em que deverá apresentar as políticas e medidas do governo brasileiro, voltadas para os estudos que visam ao controle da doença no país. As reuniões técnicas da 13ª Reunião Nacional continuarão no Caeser Business, na avenida Darcy Vargas, nesta quinta-feira (21) e sexta-feira (22), no horário das 8h30 às 18h e, também, no sábado (23), das 9h às 12h.

O evento é coordenado pelo Governo do Estado e executado pela FMT-HVD, órgão vinculado à Secretaria Estadual de Saúde (Susam).Conta com apoio do Ministério da Saúde (MS), Organização Mundial da Saúde (OMS), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), dentre outros parceiros.Tem o objetivo de definir prioridades para o desenvolvimento de novos estudos que auxiliem na terapêutica da doença no país.

A primeira palestra desta quinta-feira, no Caeser Business, será proferida pela coordenadora nacional do Programa de Controle da Malária, do Ministério da Saúde, Ana Carolina Santelli, que falará sobre a eliminação da malária transmitida peloplamodium falciparum,no Brasil. Ainda nesta quinta, serão tratados, dentre outros temas, os cuidados adotados pelos órgãos de vigilância e que devem ser observados por turistas, quanto à transmissão da doença, em períodos de viagem.

O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, também será um dos expositores do encontro, no sábado, ministrando palestra às 9h. Ele falará sobre “Malária e o SUS”, abordando as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado, no âmbito do Sistema Único de Saúde, voltadas para prevenção, combate e controle da endemia. A exposição contará com mediação de Bernardino Albuquerque, diretor-presidente da FVS, e de Romeo Fialho, assessor da subsecretaria de Gestão da Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

A diretora-presidente da FMT-HVD, Graça Alecrim, destaca que o encontro é uma oportunidade para que pesquisadores de todo o Brasil e do exterior troquem experiências e conhecimento técnico-científico. Também participam do evento, estudiosos estrangeiros dos Estados Unidos e da Colômbia. Fizeram parte da programação duas pré-reuniões:do Subcomitê de Terapêutica em Malária,ocorrida na terça-feira; e, ainda,a Reunião da Rede Malária, nesta quarta-feira. Os integrantes da Rede Malária estão definindo novas diretrizes para as pesquisas nessa área e, ainda, fazendo um balanço dos estudos desenvolvidos nos últimos três anos.

Dados do Amazonas– De janeiro a novembro deste ano, foram registrados 68,9 mil casos de Malária no Amazonas, segundo dados da FVS. No período de maio a julho, houve maior incidência, com registro de mais de 9 mil casos por mês, no Estado. O município de Eirunepé é o primeiro no ranking da doença, aparecendo com 8 mil novos casos registrados. É seguido por Ipixuna, com 5 mil; São Gabriel da Cachoeira, com 4,8 mil; e Manaus, com 4,5 mil notificações de Malária.

Lançamento Livro– Ainda nesta quarta-feira à noite o governador em exercício, José Melo participou do lançamento do livro “Comarcas do Amazonas”, da desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas, Maria das Graças de Figueiredo. Melo destacou o trabalho feito pela desembargadora que conta com sua experiência pessoal e também um apanhado histórico e geográfico da Justiça no Estado. “É uma obra importante principalmente para os estudiosos do Direito e até para os leigos, como eu”, disse ele.