Contratado sem alarde em agosto de 2017, Bruno Alves chegou ao São Paulo a pedido do técnico Dorival Júnior para compor o elenco. Pouco mais de um ano depois, o zagueiro desbancou boa parte da concorrência e se firmou na defesa tricolor.

Em 2018, com a chegada de Diego Aguirre, o camisa 34 se notabilizou pela regularidade, tornando-se o zagueiro mais utilizado do plantel. Disputou 33 dos 55 jogos do São Paulo na temporada, sendo titular em 32 deles. Marca superior às de Arboleda (31), Anderson Martins (28) e Rodrigo Caio (22), antes considerados favoritos por um lugar na equipe.

“Venho fazendo bons jogos, uma temporada boa. Acho até que surpreendi algumas pessoas, que perceberam que com uma sequência eu poderia render bem e dar um respaldo positivo”, declarou Bruno Alves à Gazeta Esportiva, antes de ponderar.

“Mas a gente sabe que não interessa como começa e sim como termina. Tenho que manter essa sequência de bons jogos na reta final da temporada para conseguir, com bons resultados do clube, terminar bem”, conscientizou-se.

Bons resultados que, aliás, não têm ocorrido nos últimos jogos. Passando por um jejum de cinco partidas sem vitórias no Campeonato Brasileiro, o São Paulo caiu do primeiro para o quarto lugar e viu a possibilidade de título ficar mais remota – a equipe som 52 pontos, sete a menos que o líder Palmeiras.

“A gente se cobra muito. No ambiente de vitórias tudo fica mais fácil, você descontrai mais. A derrota traz mais tensão, mas a gente tenta se fechar ao máximo e trabalhar cada vez mais para retomar o rumo das vitórias”, avaliou o jogador, que ainda crê na conquista nacional.

A almejada reação pode começar diante do Atlético-PR, neste sábado, no Morumbi, em duelo válido pela 30ª rodada do Brasileirão. Com Anderson Martins suspenso deste compromisso, Bruno Alves deverá garantir mais uma atuação como titular em 2018.

“O São Paulo tem excelentes zagueiros, e o Arboleda é um deles, assim como o Rodrigo, o Anderson. Ainda não sei quem vai jogar, nem poderia falar (risos). Mas quem o Aguirre escolher tem condição de fazer um grande jogo e ajudar o São Paulo a vencer”, projetou. (Gazeta Esportiva)