Representantes de municípios discutem políticas públicas de saúde - Fato Amazônico

Representantes de municípios discutem políticas públicas de saúde

Representantes de municípios do Norte e Nordeste do país estão participando do 2º Congresso de Secretarias Municipais de Saúde das Regiões Norte e Nordeste, que acontece na capital amazonense desde segunda-feira, 14, no Manaus Plaza Centro de Convenções, reunindo 900 participantes.

O evento aborda o tema “Desafios para a construção de Políticas Públicas de Saúde com foco nas especificidades regionais do Norte e Nordeste” e é organizado pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), contando, entre os participantes locais, com 100 profissionais da rede municipal de saúde, além de secretários de saúde dos municípios do interior, da rede estadual de saúde do Amazonas e técnicos do Ministério da saúde.

Segundo o secretário municipal de Saúde de Manaus, Homero de Miranda Leão, o Congresso tem sido uma oportunidade única para a troca de experiências entre os municípios do Norte e Nordeste, além de ser um espaço para o fortalecimento de discussões e elaboração de propostas para a formulação de políticas públicas que possam atender as especificidades de cada município.

“As secretarias municipais seguem os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde, que também determina o financiamento de várias ações. Mas cada região tem suas especificidades e por isso é importante que os municípios elaborem suas propostas para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde no que se refere a questões como gestão, financiamento e atenção à saúde”, ressaltou Homero de Miranda Leão.

Durante discussão a respeito do tema “Estratégia de Cuidado na Atenção Especializada e Ambulatorial – Qualificação e Ampliação do Acesso”, realizada nesta quarta-feira, 16, Homero de Miranda Leão destacou a importância do fortalecimento da Atenção Primária à Saúde, trabalho que vem sendo executado em Manaus por meio da Rede Saúde Manauara. “A nossa meta é ampliar e qualificar o acesso aos serviços de saúde na Atenção Primária, que pode resolver 80% dos problemas de saúde da população, reduzindo a demanda nos prontos socorros ou hospitais. Uma das estratégias é a valorização dos Distritos de Saúde, permitindo que tenham a autonomia necessária para fazer um trabalho de qualidade e resolutivo na ponta” afirmou o secretário.

O presidente do Congresso e do Cosems-AM, Januário Carneiro da Cunha Neto, explicou que as propostas elaboradas a partir do Congresso serão encaminhadas ao Ministério da Saúde para subsidiar as decisões sobre políticas públicas em saúde. “O grande problema que identificamos é que as políticas públicas muitas vezes são elaboradas sem contemplar as especificidades locais. São utilizados, por exemplo, critérios como o quantitativo populacional de uma região no que se refere ao incentivo financeiro, sem contemplar questões como a dificuldade de acesso de áreas ribeirinhas, onde o acesso é pelos rios. Nesse sentido, é importante a participação de técnicos do Ministério da Saúde para ouvir as pessoas que vivenciam os problemas no dia a dia e, a partir daí, entender as dificuldades encontradas em cada município ou estado”, afirmou Januário Cunha Neto.