Rotta diz que aliados e oposicionistas elogiam Eduardo Braga - Fato Amazônico

Rotta diz que aliados e oposicionistas elogiam Eduardo Braga

Nesta quinta-feira (9), o vice-líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado federal Marcos Rotta (AM), fez um discurso na tribuna da Câmara, em Brasília (DF), de apoio ao ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que apresentou, na última quarta-feira (8), um panorama da situação energética no Brasil na Comissão de Infraestrutura do Senado Federal.

Na ocasião, o ministro garantiu que, apesar da crise hídrica, o País não sofrerá com racionamento de energia devido ao baixo nível dos reservatórios nas usinas hidrelétricas e que, nas regiões Norte e Nordeste, a possibilidade de racionamento de energia é zero. Ele ainda anunciou investimentos para o Amazonas, que contemplam obras para a integração definitiva do estado ao Sistema Energético Nacional, além da expansão da rede elétrica no interior, por meio do ‘Programa Luz Para Todos’, que deverá beneficiar 10 mil famílias de comunidades rurais, com investimentos de R$ 168 milhões.

Balanço e Perspectivas

Braga explicou que a capacidade de energia no País aumentou 61% este ano em relação a 2001, quando ocorreu o racionamento de energia. Nos primeiros 90 dias de 2015, a capacidade de fornecimento cresceu 1,5 mil megawatts e a previsão é aumentar com a construção de 542 novas usinas, as quais deverão gerar mais 39,2 megawatts.

Para ampliar as alternativas de geração de energia, ele destacou à comissão que está prevista, em caráter experimental, a produção de energia a partir de placas solares em flutuadores instalados nos espelhos d’água dos reservatórios das usinas de Balbina, em Presidente Figueiredo (AM), e Sobradinho (BA). Trata-se de uma nova tecnologia, que começa a ser testada nos Estados Unidos, Japão, Reino Unido e Índia.

Sobre a expansão das linhas de transmissão, Braga ressaltou que o sistema cresceu 80%, de 70 mil quilômetros em 2001 para 125 mil em 2015, com a previsão de mais 30 mil quilômetros de novas linhas.

Ainda na comissão, Braga propôs a criação de uma agência nacional de mineração, como autarquia especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia, com atribuições de regular, fiscalizar as atividades de pesquisa e mineração e promover as licitações e as chamadas publicas, entre outras.

‘Lava Jato’ e Petrobras

De acordo com Marcos Rotta, o ministro Eduardo Braga destacou que sua postura é de apoio total às investigações da Operação Lava Jato, feitas tanto pelo Poder Judiciário quanto pelo Congresso Nacional, e ainda destacou o papel importante da Petrobras no desenvolvimento econômico do País. “O ministro apoia uma investigação aprofundada e a punição dos culpados, mas é importante defender a maior empresa do País”, disse.

Diante dos números apresentados à Comissão de Infraestrutura do Senado Federal, Rotta ressaltou o preparo do ministro Eduardo Braga para o cargo estratégico do Governo, pois vem mostrando competência e atitudes inovadoras à frente da pasta. "Esse reconhecimento vem não somente de aliados, mas de integrantes da oposição, que já declararam publicamente a capacidade técnica do ministro, pois, segundo eles, Eduardo Braga vem dando uma nova e moderna visão do gerenciamento do Ministério de Minas e Energia", afirmou.