Secretário de Finanças de Iranduba é denunciado por advogados por alterar indevidamente dados de empresa - Fato Amazônico

Secretário de Finanças de Iranduba é denunciado por advogados por alterar indevidamente dados de empresa

O secretário de Finanças do Iranduba, David Queiroz Félix, foi denunciado criminalmente ao Ministério Público da comarca por três crimes, um deles o do artigo 313A do Código Penal, que fala da "inserção de dados falsos, alterar ou excluir indevidamente dados corretos nos sistemas informatizados ou bancos de dados da Administração Pública com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem ou para causar dano", que tem a pena de dois a doze anos de reclusão.

A denúncia contra David Queiroz, é do advogado Marcelo Palhano Sanches e da advogada Maria das Graças Carvalho Monteiro, da empresa EcoAgro, que protocolaram no dia 31 do mês passado a denúncia junto ao promotor de Justiça Gerson de Castro Coelho.

De acordo com a denúncia que o Fato Amazônico teve acesso, os funcionários da EcoAgro, localizada no quilômetro 4 da Rodovia Carlos Braga, em Iranduba, onde estão situados desde 2010, foram no início do mês de março a prefeitura do município para tratar do Alvará 2015 da empresa, para poderem participar de uma licitação no município de Manacapuru.

O servidor depois de uma imensa espera pelo documento, ouviu a voz do secretário dizendo: "Eu não dou esse alvará, esta empresa vai ter de sair do meu município. Aqui entra prefeito e sai prefeito mas quem manda sou eu. Aquele terreno é meu e aqui o juiz e o promotor faz o que eu quero. Se quiser alvará entra na Justiça", disse sorrindo o secretário de Finanças, David Queiroz.

Na denúncia consta ainda, que o funcionário da EcoAgro ao sair da Prefeitura de Iranduba, foi seguida por dois homens em uma motocicleta.

Depois de afirmar que iria denunciar o secretário David Queiroz, o prefeito do município Xinaik Medeiros, ligou para o dono da empresa pediu desculpas e entregou o alvará de funcionamento. Mas ao ler o documento percebeu que o secretário de Finanças, tinha alterado o endereço da empresa com o objetivo de prejudicar a EdcoAgro, quando a empresa fosse participar da licitação em Manacapuru, apresentando endereeço diverso dos demais documentos apresentados.

Ao final da denúncia, os advogados pedem providências urgentes do Ministério Público contra o secretário de Finanças, David Queiroz, que utiliza o cargo público para benefício próprio e prejudicar a terceiros, vez que adulterou o endereço em favorecimento pessoal, achando que isso o beneficiaria em uma ação pelo disputa do bem que tramita na 2ª Vara Cível de Iramduba e em represália para dificultar o exercicio das atividades da empresa.