Na primeira denúncia Alexandre Lins pediu fotos sensuais da vítima

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), disse que vai acionar todos os órgãos que considerar necessários contra a nomeação do secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos de Presidente Figueiredo, Alexandre Bezerra Lins.

O motivo é que o servidor responde a um processo criminal por assédio sexual contra a turismóloga Kamila Fernanda Alves de Almeida, 31, ex-funcionária da Secretaria de Turismo daquele município – o caso foi registrado na delegacia de polícia da cidade em setembro de 2017.

“O prefeito de Presidente Figueiredo (Romeiro Mendonça) recontratou um secretário que havia sido exonerado exatamente por ter assediado uma servidora pública, que depois do assédio sexual sofreu assédio moral (Kamila foi exonerada da Secretaria de Turismo, sem justificativas). Esse secretário responde a dois processos, cível e criminalmente pelo caso, e mesmo assim o prefeito agora o recontratou”, criticou Alessandra.

Deputada Alessandra critica nomeação de secretário acusado de assédio em Presidente Figueiredo

Nomeação de gaveta

O documento oficializando a nomeação do secretário acusado ainda não foi tornado público. No entanto, no meio político de Presidente Figueiredo ele já fala como titular da pasta de Infraestrutura e Serviços Públicos.

Tentaram silenciar a vítima

Segundo a parlamentar, depois do episódio alguns emissários da Prefeitura de Presidente Figueiredo teriam tentando fazer a servidora desistir das ações na Justiça contra o secretário. No entanto, o processo segue nas mãos do Poder Judiciário.

Além do constrangimento, a servidora foi perseguida dentro da Secretaria de Turismo e posteriormente exonerada pelo ex-chefe. À época, Alexandre Bezerra Lins também acabou sendo exonerado pelo prefeito, em razão da grande repercussão do caso na imprensa, que inclusive foi dado com exclusividade pelo Fato Amazônico.

Para a deputada Alessandra Campêlo, o caso deve ser devidamente esclarecido. Do contrário soa como um escárnio à opinião pública a nomeação de um servidor para o mesmo cargo no qual ele foi acusado de assediar sexual e moralmente uma mulher.

“Não dá para ser sustentada com dinheiro público uma pessoa que comete esse tipo de crime e voltando exatamente para o mesmo local de trabalho onde ele cometeu o crime”, argumentou a presidente da Comissão da Mulher.

Entenda o caso

A denúncia de assédio moral veio à público no dia 4 de setembro, quando o Fato Amazônico teve acesso a um Boletim de Ocorrência registrado no dia 22 de agosto, na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher, onde o acusado, que é ex-vereador de Presidente Figueiredo, Alexandre Lins.

De acordo com relatos da vítima no BO, que terá nome preservado para evitar represália, Alexandre Lins, tem pedido a ela fotos suas sensuais. A servidora informa ainda no boletim, que o fato vem se repetindo já há algum tempo.

Veja mais:

Servidora denuncia ser vítima de assédio praticado por Secretário de Turismo de Presidente Figueiredo

Secretário de Turismo de Figueiredo é denunciado na delegacia por mais duas servidoras por assédio moral

Ex-servidora que denunciou assédio de Alexandre Lins registra BO contra consultor jurídico de Figueiredo por calúnia