Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Orientar os estabelecimentos de ensino extintos quanto ao encaminhamento dos arquivos para a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), assim como, organizar os arquivos das escolas extintas e efetuar a expedição dos documentos solicitados, faz parte das atribuições da Gerencia de Monitoramento e Auditoria Escolar (Gemae).

O setor das escolas extintas guarda os arquivos de todas as escolas estaduais que deixaram de funcionar no Estado e também as escolas privadas que fecharam por alguma razão. Neste setor é realizado a emissão de documentos necessários como diploma, certificado, transferência, declaração e histórico escolar, para quem estudou ou trabalhou em escolas que estejam extintas.

“Isso não se aplica somente para alunos, mas também para os funcionários e professores que precisam constatar que trabalharam em alguma dessas escolas, tempo de serviço ou de aposentadoria”, explica o gerente da Gemae, Tiago de Lima e Silva.

De acordo com a técnica administrativa das escolas extintas da sede, Kelly Almeida, o movimento de atendimento é continuo. “As solicitações são diárias e constante. E cada pessoa que nos procura deve preencher o protocolo de solicitação para que a gente realize a busca dos documentos da escola já extinta”, explica.

Solicitação – Para solicitar os documentos, é necessário ser realizado de forma presencial na sede da SEDUC, localizada na avenida Waldomiro Lustoza, Japiim 2, Zona Sul de Manaus, onde o solicitante preenche um formulário que é primordial para o atendimento.

Representante – Caso a pessoa não esteja morando em Manaus, pode enviar alguém que o represente através de uma procuração, autorizando a pessoa solicitar o documento. E seguir todos procedimentos necessários.

Horário – O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 12h.

“Esse é um trabalho muito relevante que a SEDUC faz de guardar o histórico desses alunos e desses profissionais que trabalharam nessas escolas que não estão mais em atividade”, conclui Tiago.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •