Sem mesas para comer, policiais militares comem suas quentinhas sentados no chão - Fato Amazônico

Sem mesas para comer, policiais militares comem suas quentinhas sentados no chão

O movimento dos policiais militares, que começou no último domingo (27) e durou cerca de 12 horas, com a paralisação do policiamento ostensivo e preventivo de Manaus, poderá voltar caso o governo do estado não tome uma providência em relação a maneira como a Ripasa, empresa responsável pela alimentação dos praças (soldados, cabos e sargentos), tem servido o café, almoço e janta dos PMs.

De acordo com denúncias e fotos enviadas por policiais militares ao Fato Amazônico, além da péssima qualidade da alimentação, agora os que são lotados nas Cicoms, que funcionam em containers, estão recebendo a comida em quentinhas e tem de dar seu jeito de comer e sem ter onde sentar acabam comendo sentados no chão.

“Depois não querem que a tropa fique revoltada cruze os braços e pare os serviços”, disparou um policial, que terá o nome preservado para não sofrer retaliação do comando.

O major Wilmar Tabaiares, na sua página do Facebook, faz um desabafo a respeito da alimentação servida pela Ripasa. De acordo com ele, nos últimos dois anos tem testemunhado o descaso com a alimentação servida pela Ripasa para os policiais militares. “Um troço de péssima qualidade.

Segue em desabafo, dizendo que a empresa “suspeita” já fornece alimentos para os alunos da rede estadual. O major comenta que tempos atrás, alunos de uma escola foram internados depois da alimentação ingerida na escola.

“Estão entregando a gororoba para tropa…será que o comando não enxerga isso??? Por dois dias informei a quem de direito e nada….só piora…depois achamam a revolta da tropa injusta….será que nós oficiais vamos deixar isso continuar???? será que os praças precisarão mostrar a sua força, pois nós continuamos subservientes??? Já existem dezenas de fotos circulando…. e nós não fazemos nada???? Isso é uma vergonha!!!”, concluiu seu desabafo.