Semana do Autismo tem programação especial no Complexo de Educação André Vidal de Araújo - Fato Amazônico

Semana do Autismo tem programação especial no Complexo de Educação André Vidal de Araújo

Começa nesta terça-feira, 1°, a programação especial para alunos e frequentadores do Complexo Municipal de Educação Especial André Vidal Araújo, promovida pela Prefeitura de Manaus, como parte das atividades que marcam a Semana de Conscientização do Transtorno do Espectro do Autismo em Manaus, que vai começou ontem e se estende até sexta-feira, 04 de abril. Na programação estão passeios e atividades recreativas em diversos pontos da cidade, além de uma feijoada beneficente no sábado, 12, no Clube Municipal.

A prefeitura mantém, há sete anos, o Complexo Municipal de Educação Especial André Vidal Araújo, localizado na esquina da rua Penetração com a Maceió, na Vila Amazonas, Parque Dez, zona Centro-Sul. O espaço atende a 420 alunos especiais, dentre eles aproximadamente 180 autistas e, além de agregar uma escola, desenvolve diversos programas de estimulação da aprendizagem e de educação inclusiva.

O complexo municipal é coordenado pela Gerência de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e, apesar de o público-alvo ser de alunos de educação especial do município, o atendimento aos autistas tornou-se sua maior referência e hoje é destaque na cidade de Manaus.

Os 180 autistas se dividem entre alunos da escola municipal de educação especial, que leva o mesmo nome do complexo, e crianças atendidas pelos programas voltados à estimulação essencial, estimulação da aprendizagem em dois níveis e multiprofissionais.

“Aqui temos todo o acompanhamento necessário aos portadores de autismo desde os primeiros meses de vida, realizado por uma equipe completa. O nosso trabalho visa favorecer e fortalecer essas crianças e jovens com um processo completo de educação inclusiva”, explicou o gerente do complexo, Reni Formiga.

Atendimento individualizado

Dificuldades de interação social, problema de comunicação e comportamento restritivo e repetitivo são os principais indícios do autismo. Por isso, cada vez mais a divulgação de informações sobre a Síndrome do Espectro Autista ajuda a desmistificar o rótulo de doença, fazendo com que a sociedade entenda mais o problema e deixe de lado o preconceito.

A técnica de enfermagem Cristiana de Oliveira Brandão detectou o autismo no filho Cristiano antes que ele completasse dois anos. Após obter informações, levou o menino ao Complexo André Vidal Araújo para passar por uma avaliação e aos dois anos de idade começou o programa de estimulação essencial com uma psicopedagoga em um atendimento individual.

Ela relata o choque ao receber a notícia de que o filho era autista e se emociona ao lembrar que precisou buscar forças para enfrentar as dificuldades. “É muito difícil para uma mãe tentar se comunicar com seu filho e não conseguir. Foi preciso buscar uma força que eu não tinha e muita informação para encarar esta luta constante”, desabafou a mãe.

Hoje, aos quatro anos, Cristiano já interage e começa a se comunicar com poucas palavras, estampando um sorriso que representa o começo de sua vitória.

“Depois que ele começou a fazer o tratamento já sabemos como lidar e chamar a atenção dele. Com o tempo, conseguimos colocar novos alimentos em sua dieta e até mesmo introduzir novas palavras em seu vocabulário. Nem sei explicar como seria se ele não frequentasse o complexo, pois não sabíamos lidar com ele”, enfatiza Cristiana.

Preconceito

Paralelo às atividades no complexo, Cristiano estuda no Centro Municipal de Educação Infantil Padre Cláudio Dalbon, Cidade Nova, zona Leste e, segundo a mãe, é na escola que o preconceito com o transtorno do filho fica mais evidente. Ela relata uma grande dificuldade com o processo de inclusão social do filho, que muitas vezes não é compreendido pelos colegas e também por seus pais.

“É preciso mais informação, porque os pais têm certo receio dele bater nos colegas. As pessoas pensam que o autismo está relacionado com criança má. E não é bem assim. Ele é uma criança muito amorosa”, destaca.

Para a gerente do complexo, o papel dos pais no desenvolvimento da criança é primordial, uma vez que o trabalhado do programa deve prosseguir em casa. “É fundamental que os pais ponham em prática os ensinamentos do programa para que se desenvolva na criança um comportamento que a aproxime de um melhor convívio social”, orienta o gerente do complexo.

Abaixo a programação completa para Semana de Conscientização do Transtorno do Espectro do Autismo em Manaus, no Complexo André Vidal.

Programação

01/04

Passeio

Local: Ponta Negra

Horário: Matutino 08h às 10h

Vespertino: 14h às 16h

02/04

Missa: Igreja Nossa Senhora de Nazaré

City Park: Atividades Recreativas

Horário: 08h

09h30 às 15h

03/04

Cidade da Criança: Atividades Recreativas

08h30 às 10h30

04/04

1ºBIS: Atividades psicomotoras

Palestra: Drª Lívia Vianez

Local: Auditório da Semed

08h30 às 10h30

14hs

12/04

Clube Municipal: Feijoada Beneficente.

12hs