Semed padroniza ações de educação ambiental nas escolas da rede - Fato Amazônico

Semed padroniza ações de educação ambiental nas escolas da rede

A Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da Divisão de Ensino Fundamental (DEF), padronizará as ações ambientais desenvolvidas nas escolas e irá direcioná-las para o foco didático pedagógico. Na manhã desta segunda-feira, 24, a Semed apresentou aos parceiros ambientais as diretrizes de trabalho para este ano letivo.

Participaram do evento representantes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Saúde (Semsa), Limpeza Pública (Semulsp), da concessionária Manaus Ambiental e da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Durante a reunião, os parceiros também fizeram a apresentação de seus projetos. Serão aplicados nas escolas em 2014 somente os projetos que forem bem avaliados pela Semed.

Segundo a assessora de Educação Ambiental da DEF, Rita Lopes, a Semed trabalha ações ambientais nas escolas desde 1999, mas nunca houve uma proposta curricular que padronizasse os projetos. “Chamamos os nossos parceiros para mostrar qual é a proposta da Semed para as ações de educação ambiental em 2014. Vamos trabalhar com foco didático pedagógico e de forma prática, sensibilizando o aluno sobre a importância de preservar o meio ambiente. Temos diversos projetos realizados em parceria e este ano todos passarão por uma análise antes de serem aplicados nas escolas”, explicou.

A Manaus Ambiental, parceira da Semed há três anos, apresentou o Programa de Uso Racional da Água, que pretende mostrar aos alunos a importância do não desperdício desse bem. O programa, se aprovado, levará para as escolas palestras e teatro de fantoches que trabalharão a água como tema. “Hoje, Manaus tem, em média, 40% de perda de toda a produção de água, por desperdício, fraude ou furto. Ampliando o conhecimento e sensibilizando os alunos para esse entendimento será possível reverter esse quadro”, disse a supervisora de Gestão de Parcerias da Manaus Ambiental, Geaneide Vilhena.

A expectativa é que até o final de abril todos os projetos sejam avaliados e comecem a ser realizados nas escolas.