Semed promove a 1ª Exposição de Educação Escolar Indígena - Fato Amazônico

Semed promove a 1ª Exposição de Educação Escolar Indígena

Em comemoração ao mês dos índios, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou, ontem (30), a 1ª Exposição de Educação Escolar Indígena: Saberes, Culturas, Artes e Tradições. O evento ocorreu na sede da secretaria, no Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, e contou com apresentações de danças indígenas e a mostra de artesanato produzido nas comunidades.

Participaram da programação alunos e professores de quatro escolas indígenas e de espaços culturais da Semed com atividades voltadas para a valorização da cultura e preservação da língua materna de dez etnias da Região Metropolitana de Manaus (RMM), como: Sateré Mawé, Tikuna, Tukano, Kokama, Kambeba, Baré, dentre outras. De acordo com a chefe da Gerência de Educação Escolar Indígena (Geei) da Semed, Meire Lane Araújo, a ideia é apresentar as atividades pedagógicas desenvolvidas nestas unidades de ensino.

“Estamos mostrando aqui o que a Semed tem feito em relação aos povos indígenas. Nesta exposição, nós estamos mostrando para os servidores e o público em geral o trabalho desenvolvido pelos professores indígenas nos espaços culturais e escolas indígenas. Trabalho esse que atua no fortalecimento e resgate cultural com as crianças por meio de canto, dança e grafismo”, observou, lembrando que a Semed foi uma das primeiras do País a oficializar a categoria de professor indígena.

“Atualmente, atendemos 500 alunos indígenas, por meio de 22 professores indígenas. Nosso destaque é justamente ter criado a categoria de professores indígenas e também o fato de nossas escolas serem reconhecidamente indígenas. Continuaremos trabalhando de forma intensiva em prol desses povos que habitam na Região Metropolitana de Manaus”, concluiu.

A secretária Kátia Schweickardt prestigiou as apresentações e comentou sobre a valorização e preservação da cultura indígena. “Trata-se da valorização daquilo que nós mesmos somos. Toda vez que nós negamos essa diversidade, negamos aquilo que somos. Nós que somos educadores, precisamos, de fato, sermos os maiores promotores da valorização da diversidade, da valorização das culturas. E é motivo de orgulho e honra sermos uma secretaria que já incorporou na sua estrutura as escolas indígenas”, disse.

Apresentações culturais

Os alunos e professores indígenas fizeram a apresentação de quatro danças típicas dos povos do alto Rio Negro. A etnia Tikuna retratou a dança das mulheres, na qual as índias oferecem caxiri (bebida fermentada a base de macaxeira) aos parentes que visitam sua comunidade.

Para o diretor da Escola Municipal Indígena Puranga Pisasú, no Rio Cuieiras, Joarlisson Garrido, da etnia Baré, o evento é também um uma confraternização entre os povos. “Estamos aqui para mostrar que é possível trabalhar a educação escolar indígena juntamente com o ensino regular, de forma interdisciplinar e intercultural, valorizando os conhecimentos milenares dos povos em que a escola está inserida”, comentou.