Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gestores, professores e pedagogos de seis unidades — sendo quatro de Ensino Fundamental e duas da Educação Infantil — participaram do 1º Fórum de Educação Integral, com tema ‘A qualidade da escola pública de Educação Integral e(m) Tempo Integral’, ontem  (21). O evento realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) aconteceu no Auditório da Aldeia SOS, bairro Alvorada, zona Oeste e contou, ainda, com a presença de chefes e assessores pedagógicos das Divisões Distritais Zonais (DDZs) e representantes do Grupo de Trabalho (GT) da Educação Integral.

A rede municipal de ensino tem alcançado resultados satisfatórios desde que implantou em algumas unidades a Educação Integral. Um bom exemplo tem sido o reconhecimento nacional que a metodologia utilizada na Escola Municipal Professor Waldir Garcia, na zona Centro-Sul da cidade, tem alcançado com o recebimento de prêmios, entre eles o de Escola Transformadora, concedido pelo o Instituto Ashoka, organização internacional sem fins lucrativos, que está no Brasil desde 1987, representado pelo Instituto Alana.

Desta forma, o encontro pretende instituir um espaço e tempo de reflexão, participação e diálogo aberto, orientado para mobilização de diferentes agentes sociais na implementação de políticas de Educação Integral da rede municipal de ensino. A Semed tem, atualmente, seis escolas com ensino nessa modalidade, que foi implantada na rede municipal de ensino em 2016, e atende aproximadamente 1,3 mil alunos, entre Educação Infantil e de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

A assessora pedagógica do Grupo de Trabalho da Educação Integral da Semed, Dorianny Araújo dos Reis, disse que o foco central é exatamente abrir um diálogo entre as escolas, aproximar a realidade e o cotidiano que elas vivenciam dentro dessa perspectiva da modalidade e incentivar que outras unidades adotem o mesmo modelo de ensino.

“É uma oportunidade importante para discutir a qualidade da educação no município de Manaus, do processo desenvolvido nas escolas. Esse evento é um momento ímpar das escolas pensar em si próprio, nos rumos, desafios e as possibilidades que tem pela frente para melhorar e aprimorar esse contexto no processo escolar”, explicou.

A assessora técnica Rosilene de Souza Nascimento, do Conselho Municipal de Educação (CME), afirmou que é fundamental acompanhar o debate sobre o trabalho nas unidades. “Nós precisamos ter em mente qual o conceito da Educação Integral. Esse fórum vem trazer essa formação, o que é a escola integral em tempo integral. O conselho está aqui para ouvir e contribuir também”, disse.

Troca de experiência

A Escola Municipal Sérgio Alfredo Pessoa, no bairro Presidente Vargas, há nove meses faz parte do programa de Educação Integral, atendendo 285 alunos do 1º ao 5º ano. Segundo a pedagoga Sirlene da Silva Solimões, o fórum é um momento de reflexão sobre o trabalho desenvolvido até agora e aprendizado.

“Acredito que, além da proposta curricular que foi apresentada, o fórum vai nos ajudar muito no projeto político pedagógico, pois é a identidade da escola. Para isso, nós precisamos trazer a comunidade, que é o território geográfico para se quebrar esse muro e para dentro da escola”, finalizou.

A professora Nelma Palheta de Vilhena, do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Hermann Gmeiner, no bairro Alvorada, zona Oeste, destacou que o que foi aprendido no encontro será colocado em prática com as 348 crianças do 1º e 2º períodos da escola. “Quero saber o que está acontecendo em outras escolas e como estão trabalhando. Vou fazer uma reflexão sobre o trabalho que estamos fazendo, sobretudo que estamos estudando, sobre o que trabalhamos ano passado e o que estamos fizemos esse ano”, mencionou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •