Semmas destaca desafios da gestão ambiental na área de mudanças climáticas - Fato Amazônico




Semmas destaca desafios da gestão ambiental na área de mudanças climáticas

O desenvolvimento de projetos voltados para a sustentabilidade das cidades com vistas à mitigação ou adaptação decorrentes das mudanças climáticas é hoje um dos maiores desafios da gestão ambiental municipal. A pasta ambiental municipal é lócus da materialização dos diversos conflitos de interesse e nem sempre ela é considerada pelo Executivo e o Legislativo municipal como a mais importante. É preciso trabalhar pelo fortalecimento institucional de nossas secretarias de modo a que as políticas empreendidas não fiquem a mercê dos interesses político-partidários, muitas vezes gerando descontinuidade nas iniciativas promissoras e sustentáveis.

O alerta foi dado na manhã desta segunda-feira, 11, pela secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, da Prefeitura de Manaus, Kátia Schweickardt, aos secretários que participam do VII Fórum Permanente de Secretários Municipais de Meio Ambiente (Fopes), promovido pelo Governo do Estado, no auditório do Bloco B, do Centro Universitário Luterano (Ceulm-Ulbra Manaus). A secretária participou da solenidade de abertura do evento e ressaltou a importância do Fopes enquanto espaço para a discussão e fortalecimento dessas e outras iniciativas, o que permitirá imprimir um caráter sustentável às ações de desenvolvimento urbano sustentável e evitar que a cada nova gestão se recomece do zero.

A secretária lembrou que no Fórum Nacional de Secretários de Meio Ambiente das Capitais (CB27), realizado nos últimos dias 9, 10 e 11 de outubro, em Salvador, estas foram algumas das preocupações externadas pelos titulares das pastas de Meio Ambiente de todo o País.

“É preciso que esses espaços de discussão sejam cada vez mais fortalecidos para que os projetos ambientais possam se materializar sem que sofram a interferência dos conflitos de interesse que sempre existem nas gestões dos municípios. A construção de uma cidade sustentável é uma empreitada que depende de decisão política”, explicou Kátia, falando para representantes de 30 dos 62 municípios do Amazonas presentes ao VII Fopes.

A pauta ambiental deve ser a mais importante de um governo, por lidar transversalmente com todos os demais temas. O VII Fopes deverá se estender até a quinta-feira, com a realização de Workshop Internacional de Resíduos Sólidos, na terça e na quarta-feira, e uma visita técnica ao município de Presidente Figueiredo.

Nesta segunda, foram realizadas apresentações do Profloram (programa de redução do desmatamento na Amazônia) e Programa Canal Aberto com Produtor, da SDS. À tarde, será discutida a revisão do Regimento Interno do Fopes e eleita a diretoria colegiada do Fórum.