Semsa fortalece ações de prevenção à violência - Fato Amazônico

Semsa fortalece ações de prevenção à violência

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio do Núcleo de Prevenção a Riscos à Saúde por Causas Externas, está realizando um ciclo de visitas as unidades de saúde para fortalecer as ações de prevenção as diversas formas de violência junto aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

A chefe do Núcleo de Prevenção a Riscos à Saúde por Causas Externas da Semsa, Ana Carolina Leão, informou que devem ser realizadas visitas a pelo menos 200 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), envolvendo principalmente as que trabalham com a Estratégia Saúde da Família, com o objetivo de esclarecer os profissionais de saúde sobre como proceder nos casos suspeitos de violência. O público-alvo são médicos, enfermeiros, dentistas, psicólogos, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias e recepcionistas.

“A questão da violência é muito subjetiva e abrangente, envolvendo diversos outros setores além da saúde. Por isso, é importante que os profissionais conheçam os procedimentos necessários. As visitas também servem para estreitar os laços entre as equipes que atuam diretamente junto aos usuários e a área técnica responsável pela gestão dos trabalhos em cada Distrito de Saúde”, esclarece Ana Carolina.

A programação do ciclo de visitas inclui a abordagem da temática ‘violência’ em reuniões e supervisões locais nas unidades de saúde; discussão da importância da articulação com os demais serviços de referência e os serviços comunitários existentes; estimulo à vigilância/ percepção pelos profissionais de saúde das situações de violência e como proceder em cada situação; subsidiar as equipes com materiais educativos e instrucionais acerca da temática; e estreitar a comunicação entre os profissionais atuantes nas Unidades Básicas e os técnicos dos Distritos de Saúde.

“A maior parte das denúncias de violência são feitas geralmente em delegacias, conselhos tutelares ou através de disque denúncia, mas é importante que o setor da saúde esteja preparado na identificação dos casos de violência, deixando claro o papel do profissional de saúde e da equipe multidisciplinar dentro da rede de proteção à vítima”, destaca Ana Carolina.

O ciclo de visitas teve início no mês de fevereiro e a proposta é de que as visitas sejam contínuas.