Semulsp intercepta e aplica multa por descarte irregular de entulhos em terreno - Fato Amazônico

Semulsp intercepta e aplica multa por descarte irregular de entulhos em terreno

Equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) interromperam, ontem, 26, uma ação de descarte irregular de entulhos e restos de obras em um terreno localizado na avenida Torquato Tapajós, em Flores, zona Centro-Sul de Manaus. Os responsáveis pelo descarte ilegal foram convocados a comparecer na Semulsp para prestar esclarecimentos.

A operação interceptou uma caçamba que fazia o descarte de ferros, pedregulhos e concreto na área. Ainda no local, a fiscalização identificou o proprietário do terreno, o motorista da caçamba e outros envolvidos. “Segundo o motorista da caçamba, o descarte de entulho no terreno era feito a pedido do proprietário, que nega a acusação”, explicou José Rebouças, subsecretário Operacional da Semulsp.

O proprietário do terreno, Francisco Geraldo Lopes, negou ter dado autorização para a caçamba modelo basculante Ford Cargo branca. Já o proprietário do veículo, Avany Freitas de Melo, comprometeu-se a colaborar com a Prefeitura de Manaus, retirando de volta o entulho e dando a destinação correta a esse material.

O secretário Municipal de Limpeza Pública, Paulo Farias, convocou os envolvidos no caso a comparecerem à sede da Semulsp. “A legislação (Lei Nº 12.305), que regulariza a destinação final de grandes geradores de lixo, determina que estes são responsáveis por dar o fim correto a seus resíduos. A Prefeitura de Manaus está intensificando a fiscalização para evitar a proliferação de lixeiras viciadas que acabam se formando a partir de descartes ilegais como este”, comentou.

Farias lembrou ser comum encontrar terrenos desocupados servindo como lixões a empresas particulares e destacou a importância de se coibir a prática.

Este foi o sexto caminhão flagrado e interceptado fazendo descartes irregularmente só neste mês de março. “A população também pode ajudar, denunciando a prática e enviando fotografias para os e-mails da Semulsp ou redes sociais da prefeitura. Coibindo esses atos, a população ajuda a preservar o meio ambiente e a limpeza da cidade”, explicou o secretário.