“Estamos conversando com todos no sentido de construir um arco de alianças para continuar o nosso projeto de preparar o Amazonas para o futuro, pois sabemos que os desafios do Estado são grandes para os próximos anos”. A afirmação é do senador Eduardo Braga que, durante entrevista à Rádio Difusora, na manhã desta segunda-feira (27/01), falou sobre os projetos consolidados e os que ainda estão na pauta de execução.

O senador Eduardo Braga vem mantendo reuniões com todos os segmentos da sociedade civil organizada, com entidades de classe, representantes de setores econômicos, com a classe política local e com instituições federais. “Minha candidatura vem sendo fundamentada na construção de questões importantes. Tenho mantido conversas com a presidenta Dilma Rousseff, por exemplo, sobre como fazer mais e mais rápido pelo Amazonas. Precisamos dar mais celeridade nas soluções encontradas para o Estado. Ter mais agilidade nas ações é fundamental para se ter mais conquistas para o nosso povo”, disse Eduardo Braga.

Com relação ao lançamento de sua pré-candidatura ao Governo do Amazonas, Eduardo Braga comentou que ela foi definida com base em duas alianças: uma com o povo do Amazonas e outra com Deus. “Acho que a principal aliança de qualquer candidatura tem que ser com o povo e sigo sempre pedindo a Deus que abençoe e que mostre o caminho. Sempre com bastante humildade e sabedoria para saber ouvir a voz que emana da nossa população. É pra quem eu me curvo. Pra quem eu me ajoelho. É pra quem eu baixo a cabeça”, comentou o senador.

Durante a entrevista, Eduardo Braga falou sobre o programa “Mais Médicos” no Amazonas e fez um apelo aos prefeitos do interior. Ele informou que algumas prefeituras estão cancelando os contratos com os médicos do Estado para ficar apenas com os profissionais do “Mais Médicos”. “Este programa do governo federal veio para somar com a estrutura que já tínhamos nos municípios. Quando o prefeito dispensa um médico do Estado, ele não está colaborando para a melhoria na saúde. Portanto, quero pedir aos nossos prefeitos que mantenham as equipes médicas em seus municípios para que realmente nosso povo tenha melhorias na área da saúde”, pediu o senador.

Outro assunto abordado por Eduardo Braga foi o programa “Luz Para Todos”. Ele considerou o projeto um sucesso em todo o país, mas fez uma ressalva: “O programa não pode parar na Amazônia. Em outros estados do país o ‘Luz Para Todos’ já atingiu 100% das metas, mas em nossa região a realidade é outra. Nos estados do Amazonas e do Pará, os dois maiores geograficamente, ainda existem comunidades mais isoladas que esperam a chegada da energia elétrica. Portanto, o programa precisa continuar avançando na Amazônia, e a presidenta Dilma Rousseff sabe disso”, afirmou.

Entre as conquistas do Amazonas em 2013 no âmbito federal, Eduardo Braga lembrou das novas regras do Fundo de Participação dos Estados (FPE) que vão garantir ao nosso Estado mais R$ 1,9 bilhão em recursos. “O Amazonas sempre foi um dos estados mais prejudicados com a distribuição do FPE. Como resultado de um grande esforço no Senado, conseguimos mudar essa situação”, lembrou o senador, informando que a matéria espera votação na Câmara dos Deputados.

Eduardo Braga também falou sobre a importância da aprovação do Orçamento Impositivo, proposta da qual foi relator no Senado. Ele destacou que a melhoria na saúde do país passa pela contratação de novos médicos e pelo aparelhamento das unidades de saúde. “Para que haja essa melhoria, o Brasil precisa de recursos para fazer esses investimentos. O Orçamento Impositivo garante que 15% da Receita Corrente Líquida da União, até 2018, sejam, obrigatoriamente, investidos na saúde pública. O que significa mais R$ 120 bilhões para o setor”, explicou o senador.