Agência Senado – No início da reunião da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) nesta terça-feira (11), os senadores lamentaram a morte do cinegrafista Santiago Andrade, atingido por rojão em manifestação no Rio de Janeiro. Eles pediram a punição dos culpados e a repressão aos grupos radicais.

Para o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), é urgente que os governantes adotem medidas para conter ações ilegais nas manifestações, como atos de violência e depredação de lojas por pessoas mascaradas.

— É hora de o governo tomar as rédeas e reprimir essas pessoas e não a população, que tem legitimidade para fazer manifestações pacíficas. E não só o governo federal, mas também os governos estaduais, independentemente de partido, pois cabe às autoridades, eleitas legitimamente, dar segurança ao povo brasileiro – disse.

Para Valdir Raupp (PMDB-RO), não há razão para os atos de violência, pois o país é uma democracia consolidada e as pessoas têm ampla liberdade de manifestação.

— Vivemos um Estado democrático de direito e o país passa por um momento econômico nunca visto na sua história. Nos últimos anos, mais de 40 milhões de brasileiros ascenderam à classe média – afirmou.

De acordo com Raupp, as ações violentas nas manifestações de rua podem ser associadas à prática de terrorismo.

— São grupos minoritários de verdadeiros terroristas, agredindo policiais, depredando lojas e atacando jornalistas. É hora de dar um basta — frisou.

O senador Ivo Cassol (PP-RO) concorda. Para ele, devem ser aplicadas as punições legais a todas as pessoas encapuzadas que promovem a violência e ameaçam a população.

Santiago Andrade

Foto: Divulgação TV Bandeirantes

Também o vice-presidente da CMA, senador Eduardo Amorim (PSC-SE), lamentou a morte do cinegrafista e concordou com a necessidade de conter os grupos violentos.