Sidney Leite recebe denuncia de trabalho escravo no alto Rio Negro - Fato Amazônico

Sidney Leite recebe denuncia de trabalho escravo no alto Rio Negro

“O trabalho escravo, infelizmente, é uma realidade em nosso país. E essa realidade vem sendo vivenciada a cada dia de forma ‘escancarada’ sob o olhar de todos, principalmente, nas aldeias indígenas onde, recentemente, uma ação do Ministério Público do Trabalho identificou essa prática nefasta na região do alto Rio Negro”, destacou da tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Sidney Leite (Pros).

Para o parlamentar, essa é uma situação lamentável e merece o mais veemente repúdio, “pois é inaceitável que nos dias de hoje ainda se tenha conhecimento desse tipo de prática”, disse Leite, elogiando o trabalho do MPT. “A denúncia foi feita por uma liderança indígena”, revelou Sidney Leite.

Matérias publicadas nos veículos de comunicação, segundo Sidney Leite, dão conta de que a escravidão não acontece somente na região do alto Rio Negro, mas está chegando agora à região do rio Purus.

Novo porto

Sidney Leite aproveitou para dar sua opinião sobre o anúncio do início e construção da obra do porto alfandegado de Itacoatiara (distante 270 km), numa região estratégica da confluência do rio Madeira com o rio Amazonas. Na sua opinião, esse porto vai melhorar significativamente o escoamento dos grãos produzidos no centro-oeste brasileiro, que garantem hoje grande parte do Produto Interno Bruto (PIB).

“Apesar de haver uma gama de competitividade, produtividade e os melhores índices do mercado internacional, os portos de Santos e Paranaguá ainda padecem do lado de fora, pelas péssimas condições das vias que estão intrafegáveis”, apontou.

O deputado afirma agronegócio brasileiro perde, hoje, em média 4,5% a 8% dos grãos que transporta nas estradas, devido às péssimas condições em que estas se encontram. “Por isso, poderemos trazer esses grãos do centro-oeste até Humaitá por rodovia, tendo em vista que a ponte sobre o rio Madeira já está concluída e, de Humaitá, com barcaças como já faz a Hermasa, levar esses grãos até Itacoatiara exportando depois para o restante do mundo”.

Sidney Leite revelou que na quarta-feira (14) recebeu em seu gabinete um grupo de agricultores que está fazendo articulações com os órgãos responsáveis pelos portos, para que possam fazer o transporte de minérios oriundos de Porto Velho para exportação e, com isso, garantir emprego e renda para a população.

Para o deputado, a construção do porto em Itacoatiara será um divisor de águas no que diz respeito à logística, influenciando, sobremaneira, o desenvolvimento do Estado do Amazonas e de forma estratégica o Norte do país com sua malha hidroviária e viária. “Esse porto integrado ao de Tabatinga, no rio Amazonas, vai melhorar a conexão com os países fronteiriços à nossa região para o mercado da Zona Franca de Manaus (ZFM)”, observou o deputado Sidney Leite.