O apresentador e dono do SBT, Silvio Santos, recebeu ligação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante a exibição do Teleton no último sábado (10/11). Na ocasião, Silvio disse que o Brasil será governado 8 anos por Bolsonaro e mais 8 por Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública.

“Pode ser que isso não aconteça, mas se depender da minha vontade e das pessoas que querem ver o Brasil pra frente, 8 anos com Bolsonaro e 8 anos com Moro, [o país] vai ter 16 anos de 1 bom caminho. Peço a Deus que isso se realize”, disse o apresentador.

Bolsonaro agradeceu os elogios a Moro. “Mérito dele, não nosso. É o homem que nos deu esperanças de viver num país, se não for sem corrupção, com menos corrupção”, disse.

Esta foi a primeira vez que um presidente da República eleito liga para a campanha. O Teleton foi criado há 21 anos com o objetivo de ajudar às crianças da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente). Segundo o SBT, a edição de 2018 já superou a meta e arrecadou mais de R$ 30 milhões.

“Sou um fã teu. Tenho acompanhado o Teleton à medida do possível, realmente há um reconhecimento muito grande por parte da sociedade”, disse o presidente eleito. “A grande contribuição não é minha. É pedir [uma doação], respeitosamente, para quem votou em mim ou não, mas é fã do Silvio Santos”, afirmou.

Bolsonaro também disse que iria tornar pública a doação para a campanha, mas Silvio pediu para que ele não revelasse o valor. Disse que isso causaria polêmica tanto se fosse alto ou baixo. “É a primeira vez que um presidente teve a gentileza de ligar pra mim”, declarou.

A conversa foi ao vivo e durou pouco mais de 6 minutos. Ao final, Silvio Santos agradeceu a Bolsonaro e fez questão de dizer que não o conhece pessoalmente, mas tem uma impressão positiva sobre ele. “A impressão que eu tenho é que é 1 carioca risonho e brincalhão.”

Assista ao vídeo abaixo:

Brasil, ame-o ou deixe-o

Na semana passada, o SBT lançou uma campanha com uma série de vinhetas nacionalistas. Em uma delas, a voz oficial da emissora, do locutor Carlos Roberto, anuncia: “Brasil, ame-o ou deixe-o”.

O slogan começou a ser usado no início dos anos 1970, durante o governo do general Emílio Garrastazu Médici. A frase ficou conhecida como slogan da ditadura militar.

Após a repercussão do caso, a emissora disse que houve 1 equívoco na exibição da peça e a retirou na última quarta-feira (7).

No entanto, ainda há outras 4 vinhetas que continuam a ser exibidas. Nelas, também há frases e músicas que remetem aos símbolos do período.

Uma delas mostra a frase “Eu te amo, meu Brasil”, com a música de fundo da dupla Dom & Ravel, amplamente usada pelo regime militar como propaganda política. (poder360)