Síndrome da Alienação Parental - Fato Amazônico




Síndrome da Alienação Parental

Há uma notável percepção quando uma pessoa está com raiva ou triste e declara algo com afirmação tentando transparecer que está bem, isto acontece quando a fala é contraria da expressão. Ademais as crianças conseguem identificar com determinada facilidade alguns gestos que revelam a contradição, isto pode causar algum dano futuro psíquico na adolescência e vida adulta quando sofrem a Síndrome de Alienação Parental.

A SAP (Síndrome de Alienação Parental) ocorre quando um dos ex-cônjuges faz a criança repudiar um dos genitores, sem justificativa. É algo que podemos observar com certa frequência em nossa sociedade decorrente do alto índice de divórcios, nesta ocasião o ex-casal transfere toda sua frustração, dor ou a raiva do final de um relacionamento que não deu certo para o filho. Esta síndrome foi definida preliminarmente nos Estados Unidos por Richard Gardner em 1985, na qual ele define que existem três estágios da síndrome: estágio leve quando se identifica certa dificuldade na hora da troca dos genitores (visitação); estágio moderado quando o alienante usa ferramentas para convencer a criança de excluir o outro; estágio agudo quando os filhos demonstram medo ou desespero em visitar o genitor alienado. O genitor alienante é o que manipula de certa forma os filhos a odiar ou ter medo do outro genitor geralmente às visitações, e o genitor alienado é quem sofre com o estranhamento dos filhos, e falsas “acusações” de, por exemplo, ser um péssimo pai ou mãe. Geralmente um dos genitores acaba não aceitando a separação ou o novo relacionamento do ex-parceiro, em decorrência afasta a criança, muitas vezes dizendo as seguintes frases, que pode ser de quem detém a guarda ou pelo outro: “Sua mãe abandonou vocês”, “Seu pai não se importa com você”, “Sua mãe é desequilibrada”, “Cuidado ao sair com seu pai, ele quer roubar você de mim”, causando uma imagem negativa de uma das partes. Todavia esse pai ou mãe não mede as consequências de seus atos, e não pára pra pensar que através da alienação parental venha gerar danos futuros a criança, na sua adolescência e vida adulta, são danos psíquicos mais propensos a aqueles quem sofrem a alienação parental como, depressão, tendência ao isolamento, dificuldades em se adaptar em diferentes ambientes sociais, transtornos de imagem e até mesmo o envolvimento com drogas, álcool e suicídio. Em linhas gerais alguns gestos classificam a alienação parental tais como, tomar decisões sobre a vida do filho sem consultar o outro genitor, mudar a criança ou adolescentes de escola, médico ou até de residência sem comunicar o outro, controlar excessivamente os horários de visitação, não admitir que o ex-cônjuge busque ou veja o filho fora da hora de visitação, tornando mais dificultoso a relação entre genitor e filho. É muito raro que os pais não exponham seus sentimentos aos filhos, segundo estatísticas previstas dos

Dados da organização SplitnTwo mais de 80% dos filhos de pais divorciados sofreram com a alienação parental e mais de 20 milhões de crianças sofrem com a SAP. O Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva sancionou em agosto de 2010 a Lei nº 12.318 que dispõe sobre Alienação Parental, prevendo multa, acompanhamento psicológico e até mesmo a perda da guarda da criança se for comprovado que os pais estejam manipulando seus filhos. Em remate fica aparente que se tem a alienação parental quando se dificulta o contato da criança com o outro genitor. Implicará também a mesma penalidade o genitor que prestar como falsa denúncia, no decorrer do processo a criança tem a garantia mínima de visitação assistida, porém perderá o direito se comprovar que a visitação está causando algum dano psicológico ou a integridade física da criança, designado pelo juiz e atestado por profissional técnico competente. A Síndrome de Alienação Parental porquanto não se trata mais de um problema relacionado a pais divorciados e sim um problema social que necessita de atenção e orientação para todos os cidadãos.

Se houver interesse assista A Morte Inventada que retrata histórias reais sobre a Alienação Parental.