O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Política Fundiária (SPF), fará, no período de janeiro a março, o levantamento das áreas ocupadas de 13 comunidades das zonas norte e leste de Manaus. A SPF vai fazer a medição do perímetro e o diagnóstico social dos moradores para regulamentação fundiária, caso as terras pertençam ao Estado.

Equipes multidisciplinares com engenheiros florestais, civis e ambientais, topógrafos, assistentes sociais e técnicos em vistoria, entre outros, realizarão o levantamento das áreas e da realidade socioeconômica dos moradores.

“Estarei em cada comunidade apresentando nossa equipe aos líderes, explicando como e para quê será realizado este esforço para trazermos cidadania aos moradores destas ocupações, por determinação do governador Wilson Lima”, disse a titular da SPF, Keit Maciel da Gama.

O Assentamento Indígena das Comunidades, reunindo as ocupações Monte Horebe I e II; Paraíso Verde; Rei Davi I e II; Itaporã; Parque dos Buritis e Monte Ararati, começa a ser atendido neste mês de janeiro, com previsão de encerramento dos trabalhos em fevereiro. Em seguida, serão as localidades de Urucaia; Novo Canaã; Santa Inês I e II; e Nova Vitória, na zona leste.