Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A nova gestão da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) reativou, ontem (22), a máquina de ressonância da Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ). O aparelho estava inoperante há três meses por conta de problemas técnicos. Em pleno funcionamento, o equipamento tem capacidade para atender até 25 pacientes por dia.

“É a retomada de um importante serviço para o Hospital Adriano Jorge, que é referência na rede estadual em procedimentos cirúrgicos de alta complexidade na área de ortopedia. O não funcionamento deste equipamento estava dificultando o atendimento, porque era preciso transferir o paciente para fazer o exame em outra unidade”, observa o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato Guimarães, que está no cargo há um mês e meio.

De acordo com a diretora-presidente da FHAJ, Cristiane Sena, o setor de Ressonância do Hospital também atende pacientes de outras unidades da rede. “A gente vai poder prestar um melhor atendimento aos pacientes internados na unidade e aos demais da rede. A gente vai atender, por dia, de 15 a 20 pacientes, que já estavam aguardando os exames”, disse.

Encaminhamento – Durante o período em que a máquina estava inoperante, os pacientes da FHAJ que precisavam realizar ressonância eram encaminhados para outras unidades da rede estadual, como, por exemplo, o Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte.

A direção da FHAJ informou que, à medida que a demanda de atendimento de pacientes da própria unidade for diminuindo, será possível auxiliar outras unidades da rede. “A gente sempre faz exames para as outras unidades. Então, funcionando a nossa, a gente já dá apoio para as outras unidades”, destacou o diretor de Assistência Médica da FHAJ, João de Souza Alves.

O aparelho reativado na FHAJ auxilia, por exemplo, no diagnóstico de lesões no crânio, coluna, joelho, ombro e tornozelo. Somente na ortopedia, a unidade realizou de janeiro de 2015 a agosto deste ano 4.071 cirurgias.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •