Por unanimidade, o pleno do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) aprovou, na manhã desta terça-feira (31), durante a 1ª sessão ordinária de 2017, a realização de uma inspeção extraordinária no município de Silves, alvo de uma série de denúncias. A solicitação foi feita pelo conselheiro-relator das contas do município, Mario de Mello, a partir do pedido do prefeito eleito da cidade, Aristides Queiroz de Oliveira Neto, que, em ofício, apontou uma série irregularidades herdadas da administração do então prefeito Franrossi Lima.

A pedido do presidente do TCE, Ari Moutinho Júnior, a Secretaria-Geral de Controle Externo do TCE deverá elaborar um cronograma de inspeção, com servidores designados, que deverá ser divulgado nos próximos dias.

Entre as irregularidades elencadas no ofício do prefeito Aristides Queiroz de Oliveira Neto está o descontrole das contas públicas e do patrimônio público. Segundo ele, o ex-prefeito Franrossi Lim realizou pagamentos no dia 2 de janeiro deste ano, após o encerramento do mandato, deixou de pagar obrigações previdenciárias dos meses de outubro, novembro, dezembro de 2016 e descumpriu os limites legais com gastos com pessoal. No documento, o novo prefeito denunciou, ainda, o sumiço de R$ 150 mil dos cofres de Silves no dia 29 de dezembro do ano passado e de 15 embarcações do município.

Após ouvir o relato de Mario de Mello e tendo conhecimento das denúncias contra Silves, os conselheiros Julio Cabral, Júlio Pinheiro, Érico Desterro, Josué Filho e o conselheiro-substituto Alípio Reis Firmo Filho decidiram aprovar de imediato a inspeção no município.