Tenente da PM comanda agressão a advogada em frente a casa de show no Santa Etelvina - Fato Amazônico

Tenente da PM comanda agressão a advogada em frente a casa de show no Santa Etelvina

Na madrugada deste domingo, por volta de 3h40, policiais militares, comandados pelo tenente F.Rocha, agrediram de maneira covarde a advogada Islene Marques Setubal, em frente a Renato Show Clube, localizado no bairro de Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus.

A confusão começou quando a advogada, foi chamada por seu cliente Renato Cardoso da Silva, informando que policiais militares estavam lacrando seu estabelecimento sob a alegação de que o Alvará de Funcionamento apresentado por ele era falso.

Ao questionar a análise feita pelo policial militar, sobre a falsidade documental, a advogada foi humilhada e agredida fisicamente na frente de todos os presentes. De acordo com o depoimento de Islane, na Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança Pública, o tenente chegou a derrubá-la no chão.

“Caí de perna aberta e ainda bati meus braços”, disse a vítima da truculência, afirmando que quando estava no chão o tenente F.Rocha tomou o alvará que estava em sua mão.

Islene, disse que o tenente depois de tomar o alvará de sua mão, algemou o sócio da casa de show, Ronilson Azevedo da Silva.

O proprietário da casa de show e o sócio, depois de terem comprovado que o alvará de funcionamento era original foram liberados.

OBA acompanhou o caso

O presidente Simonetti Neto e o vice-presidente Marco Aurélio Choy, acompanham o caso de perto, diante do aumento de denúncias de desrespeito e violência policial por parte da P.M. contra advogados.

O Presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas, Christhian Naranjo, informou que cresceu de forma assustadora o número de denúncias contra policiais militares, em alguns casos havendo até mesmo disparo de arma de fogo contra o advogado, como aconteceu com o advogado Ary Sergio Motta. Noutro incidente a carteira de um advogado foi quebrada ao meio por um policial militar, quando o advogado apresentou a identificação.

O Presidente Simonetti Neto, fez contato com o Chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, que tomou a frente da questão, mesmo interrompendo compromisso familiar. Da mesma forma o Secretário de Segurança, Coronel Vital, que telefonou para o Presidente da OAB garantido que será realizada rigorosa apuração dos fatos, com punição dos autores da violência.

A diretoria da OAB Amazonas avisou que não tolerará violência contra advogados sob qualquer hipótese, recorrendo a todas as instâncias necessárias para fazer cessar o inaceitável abuso. Um encontro com o Procurador Geral de Justiça será agendado de forma urgente.

Na manhã deste domingo, os membros da Comissão De Direitos Prerrogativas da OAB Amazonas, Adenir Costa e André Fernandes estiveram na Corregedoria da Policia Militar para acompanhar procedimento.

Advogados revoltados

A classe de advogados do Amazonas, está revoltada com a atitude do oficial da Polícia Militar F. Rocha, que de maneira covarde agrediu a advogada no exercício da profissão.

“A Ordem, através da Comissão de Direitos e Prerrogativas do Advogado, tem que tomar uma atitude bem mais drástica diante de tantos fatos que estão ocorrendo com os advogados em Manaus, sendo presos e humilhados por policiais militares todos os dias”, disparou advogado Marcelo Palhano.

Marcelo, lembrou a recente prisão do advogado Sidney Souza, preso por policiais da Ronda Ostensiva Cândido Mariano, acusado de porte ilegal de arma. “Já tivemos em Manaus, ano passado um mandado de prisão preventiva com determinação de uma juíza para recolher uma advogada a Cadeia Pública e a Ordem, não fez nada”, acrescentou o causídico.