Transporte público deve ser tratado como demanda social - Fato Amazônico


Transporte público deve ser tratado como demanda social

Evento realizado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), em São Paulo, apresentou a situação por que passa o setor, destacando a queda no número de passageiros e falta de investimentos públicos

Representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), participaram ontem e nesta quinta-feira (31), do seminário “Qualidade no Transporte Público: Uma demanda social”. O evento é realizado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), em São Paulo, e apresenta a situação por que passa o setor, destacando a  queda no número de passageiros e falta de investimentos públicos no setor.

Para o presidente do Sinetram, Carmine Furletti, o transporte coletivo, assim como a saúde, educação e a segurança pública, deve ser prioridade para os governos, afim  de garantir investimentos para a mobilidade urbana. Ainda de acordo com ele, entre 2015 e 2017, houve uma queda de 15% na quantidade de passageiros.

“Temos que tratar o transporte coletivo como uma demanda social, onde o governo também possa fazer os investimentos, principalmente em infraestrutura. Com isso, vamos ganhar eficiência e trazer de volta os passageiros para o ônibus. Uma tarifa cara não é boa para as empresas e nem para os usuários. Também precisamos que os governos garantam a segurança jurídica dos contratos para conseguirmos financiamento. Com esses requisitos cumpridos, vamos melhorar ainda mais o serviço”, destaca Furletti.

Durante o seminário, o presidente da NTU, Otávio Cunha, destacou que 62% das pessoas que abandonaram os ônibus voltariam para o transporte coletivo se o valor da passagem fosse menor e se a fluidez do trânsito fosse melhor. Este é um dos números da pesquisa de Mobilidade da População Urbana 2017, realizada entre os dias 12 a 23 de junho deste ano pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), em parceria com a NTU.