Tribunal de Justiça decide que enfermeiro acusado de estuprar pacientes em UBS no Japiim continuará preso - Fato Amazônico

Tribunal de Justiça decide que enfermeiro acusado de estuprar pacientes em UBS no Japiim continuará preso

A Segunda Câmara do Tribunal de Justiça do Amazonas, por unanimidade de votos dos desembargadores decidiram que o enfermeiro Ronaldo Augusto Ferreira de Souza, 42 anos, continuará preso preventivamente até o julgamento. Ele é acusado de Abusar de várias pacientes dentro da Unidade Básica de Saúde do Posto Lourenço Borghi, localizada no bairro do Jappim, Zona Sul de Manaus, enquanto realizava consultas Ginecológicas e Exames Médicos.

Ronaldo Augusto nega o crime, mais as vítimas que foram ouvidas no 3º Distrito Integrado de Policia foram contundentes em afirmar que o Enfermeiro abusava das mesmas durante a consulta, inclusive colocando seus órgãos genitais para fora da calça, e que ele trancava a porta do consultório médico para que as vítimas não pudessem sair da cela.

Uma das vítimas, que é menor de idade, que prestou depoimento ao lado de sua mãe, afirmou que o Enfermeiro lhe sedou, e que logo depois a estuprou.

A mãe da garota, que também foi ouvida, disse que não Ronaldo não a deixou entrar na sala, para acompanhar a consulta, e que quando a sua filha saiu da sala, estava aparentando está dopada, e com sinais no corpo, que demonstravam que algo tinha acontecido.

O enfermeiro foi preso no dia 14 de janeiro deste ano, dentro do Posto Lourenço Borghi, por Ordem do Dr. Genesino Braga Neto, Juiz de Direito da 10ª Vara Criminal.

Para o Investigador Geraldo Filho, que participou ativamente da investigação e prisão do enfermeiro, a decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas em manter o enfermeiro preso, só enaltece o trabalho da Polícia Civil do Amazonas.