Tribunal de Justiça do Amazonas já nomeou 217 aprovados do último concurso - Fato Amazônico

Tribunal de Justiça do Amazonas já nomeou 217 aprovados do último concurso

O Tribunal de Justiça do Amazonas já publicou a nomeação de 217 aprovados no concurso público regido pelo edital nº 02/2013, que abriu 300 vagas nos níveis superior, médio e fundamental para as comarcas de Manaus e sete municípios próximos a Manaus: Careiro, Careiro da Várzea, Itacoatiara, Iranduba, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva.

Deste total, 149 já foram empossados e estão assumindo suas funções nas unidades do Judiciário estadual. As cerimônias de posse têm sido feitas de forma coletiva: em janeiro, fevereiro e abril, para os nomeados nos meses anteriores; a próxima posse está marcada para 2 de junho, para os últimos nomeados.

Os atos de nomeação foram disponibilizados no Caderno Administrativo do Diário da Justiça Eletrônico (DJE) em 4 de dezembro, 10 de janeiro, 6 de março e 30 de abril. Paralelamente à nomeação dos concursados, houve a dispensa dos servidores contratados: até o momento foram publicados 176 atos de dispensa.

“Desde dezembro há uma portaria expedida pelo desembargador presidente que estabelece o cronograma de nomeações que vai de dezembro de 2013 a maio de 2014, que deverá ser cumprida na íntegra, com a dispensa dos servidores temporários e a nomeação de todos os concursados até o dia 20 de maio de 2014”, afirmou o secretário-geral de Administração do TJAM, Genésio Vitalino da Silva Neto, em coletiva à imprensa no último dia 28 de abril.

Na ocasião, o desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa acrescentou que está fazendo isto “com alta responsabilidade, cumprindo preceito constitucional, com a realização do concurso, tanto dos servidores, quanto dos magistrados, que está terminando agora”.

Todos os servidores nomeados passam por entrevista inicial, apresentação de exames e outros documentos para cumprir as exigências do edital. Depois de empossados, ele participam do Curso de Formação Inicial realizado pela Escola de Aperfeiçoamento do Servidor (EASTJAM), a fim de prepará-los para integrar o quadro de servidores da instituição.

Cadastro de reserva

Os candidatos que não se classificaram dentro das 300 vagas oferecidas compõem o cadastro de reserva nos cargos para um possível futura nomeação. Há uma proposta da atual administração de aproveitar mais 300 aprovados deste concurso, cuja validade é de dois anos a partir da homologação, ocorrida em 8 de outubro de 2013, e pode ser prorrogado uma vez por igual período.

De acordo com o presidente Ari Moutinho, o Tribunal é uma instituição que cresce a cada dia, necessita de servidores e os aprovados que estão no cadastro de reserva podem ser aproveitados.

“Nós criamos novas varas, juizados, instalamos comarcas no interior do estado e nós precisamos de servidores. Eu fiz um ofício em 14 de abril ao presidente do Supremo e também presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministro Joaquim Barbosa, pedindo que ele permitisse eu criar mais 300 vagas de assistente judiciário – nível médio. Isto é o zelo, a responsabilidade funcional do presidente, que não quer mais contratar temporários. Nós temos cadastro de reserva, com uma fila de aprovados”, ressaltou o presidente do TJAM.