Triciclos doados por Nejmi a feirantes de Manacapuru estão há 90 dias jogados em uma garagem - Fato Amazônico

Triciclos doados por Nejmi a feirantes de Manacapuru estão há 90 dias jogados em uma garagem

Manacapuru – Os mais de R$ 198 mil gastos na compra de 21 triciclos da feirinha cidadã que foram entregues no dia 6 de dezembro do ano passado pela presidente do Fundo de Promoção Social a ex-primeira-dama do estado Nejmi Aziz, a Associação de Moradores e Amigos do Bairro São José de Manacapuru, ao que parece foram em vão. Os triciclos foram recolhidos há cerca de 90 dias e estão jogados dentro da garagem de uma casa pegando sol e chuva enquanto os feirantes passam necessidades.

Atendendo pedido do prefeito Jaziel Nunes de Alencar (PSC) o “Tororó”, Mônica Queiroz, funcionária de Nejmi Aziz, determinou que os triciclos fossem recolhidos para que a associação providenciasse um regimento interno de funcionamento da feirinha cidadã.

“Eles nos doaram os triciclos e nos mandaram trabalhar e depois de 30 dias voltam e recolhem os carrinhos”, disse um feirante, informando que há cerca de 90 dias os triciclos foram recolhidos e jogados por determinação da funcionária de Nejmi Aziz, dentro da garagem de uma casa, de número 639, localizada na rua V.B Alexandre, bairro São José, alugada pela prefeitura, onde pegam sol e chuva.

Mas não é apenas a água da chuva que está destruindo os triciclos, como estão sem nenhuma proteção na garagem, todas as vezes que caixa d’água da casa enche a água passa o dia caindo em cima dos carrinhos (veja foto).

De acordo com um dos associados, que temendo represália pediu para não ter o nome citado, a decisão de parar com a feirinha seria porque os vendedores ficaram parados com seus triciclos doados pelo governo do estado vendendo próximo ao bairro Morada do Sol.

"O pessoal da prefeitura de Manacapuru chegaram e disseram que não poderia fica parado e que o local, que os vendedores estavam estaria poluindo a imagem da cidade de Manacapuru”, disse o ambulante.

Os associados afirmam que há cerca de três meses eles lutam para atender a exigência do Fundo, que era administrado por Nejmi Aziz. “Já contratamos advogado e fizemos o tal regimento, já tivemos reuniões, mas por falta de vontade tanto da prefeitura de Manacapuru como dessa dona Mônica, até o momento não conseguimos resolver o problema”, disparou o feirante, afirmando que enquanto isso os triciclos que custaram aos cofres públicos mais de R$ 198 mil, estão se acabando.

A reportagem do Fato Amazônico, tentou contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Manacapuru e do Fundo de Promoção Social para falar a respeito da denúncia, mas não obteve sucesso.