Com misturas de etnias, caras e cores, unindo história e tecnologia, o Museu da Cidade de Manaus está com tudo pronto para abrir as portas para o público no aniversário de 349 anos da cidade, nesta quarta-feira, (24/10). O museu, localizado no coração do Centro Histórico, no Paço da Liberdade, resgata a identidade do povo manauara, contando a história de Manaus e seus mais de 10 mil anos de cultura ancestral.

Ontem segunda-feira, (22/10), o prefeito Arthur Virgílio Neto, ao lado da primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro e do diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula, realizou a última visita técnica às obras do museu. A inspeção também foi acompanhada pela imprensa local, que teve a oportunidade de conhecer mais sobre o projeto do primeiro museu de identidade do Amazonas.

O prefeito destacou que o novo museu vai ser uma atração interessante e interativa para todos que quiserem conhecer ainda mais a história da capital amazonense. “É bom para o turismo, para a cultura, é bom para as crianças e para os adultos. É uma lembrança que se faz imemorialmente das histórias contadas pelos nossos bisavós e trisavós. Tenho certeza de que os brasileiros e estrangeiros que vierem conhecer esse palácio bonito vão se encantar com a história de Manaus, contada por meio de um museu totalmente digitalizado”, comentou.

E a identidade do povo manauara vai ser contada pelas mãos, olhar e ideias de Marcello Dantas, produtor e diretor artístico que assina a exposição permanente “A Cidade de Manaus: História, Gente e Cultura”. Um dos mais importantes curadores do país, tendo participado de respeitados projetos de museus no Brasil e no mundo, Dantas adiantou que o público que for ao museu vai poder interagir com a história por meio da tecnologia.

“O público vai descobrir uma nova maneira de olhar para essa cidade, fruto de diversidade natural, biológica, humana. Diversidade de fluxo migratórios, de camada de tempo, de arqueologia. Tudo isso estará no Museu de Manaus, de uma maneira lúdica, divertida, em que será possível molhar a mão, tocar nas coisas e entrar em realidade virtual. São gramáticas do nosso tempo e que as pessoas vão ser convidadas a experimentarem para celebrar sua identidade, celebrar quem elas são”, destacou Marcello Dantas, curador do museu.

História

O Museu da Cidade de Manaus foi criado pelo prefeito João de Mendonça Furtado, através da Lei n° 1.616, de 17 de junho de 1982, na estrutura da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com localização no prédio s/n° na rua da Instalação, porém, o museu nunca funcionou nessa localidade, sequer foi inaugurado. Mais de 20 anos depois, em 2005, o projeto do Museu da Cidade foi retomado passando agora a ter como abrigo o Paço da Liberdade, antiga sede da Prefeitura de Manaus. Em 2018, a atual gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto, entrega o museu à população sem custos para o órgão, uma vez que a obra foi realizada por meio da Lei Rouanet.

“São 349 anos e Manaus passa a ter um museu que conta a sua história, mais do que isso, um museu fruto do investimento com a iniciativa privada, através da Lei Rouanet, isso é extremamente especial. A Prefeitura de Manaus vem investindo no Centro Histórico, na revitalização da Matriz, da Eduardo Ribeiro, com o programa Passo a Paço, que acontece aqui no entorno, então, ver Manaus receber essa infraestrutura para receber os turistas e ser o guardião da memória e da cultura manauara é sensacional”, ressaltou Bernardo Monteiro de Paula, diretor-presidente da Manauscult.