Por Gilvan Marques – UOL – Representante do Estado de Rondônia, Ellen Santana foi eleita a Miss Bumbum 2018 em concurso realizado na noite da segunda-feira (5). Mas a coroação terminou em barraco. Aline Uva, do Rio Grande do Sul, não gostou de ver a sua colega ganhando a premiação e simplesmente arrancou a faixa.

Aos gritos, a gaúcha acusou a colega de participar do concurso com bumbum artificial, o que infringe as regras. “Eu cumpri todas as regras do jogo. O meu bumbum é verdadeiro. Mas a bunda dela é de plástico!”, esbravejou. “O Miss Bumbum é uma farsa. Hoje eu pude comprovar tudo isso”, desabafou.

O organizador, Cacau Oliver, tentou acalmar os ânimos e negou qualquer tipo de armação. “Faz parte do concurso [esse tipo de atrito], mas vai ser ruim pra ela e para nós também [não entregar a faixa]”.

Minutos depois, a candidata do Rio Grande do Sul devolveu a faixa à representante de Rondônia, mas foi hostilizada por apoiadores de Ellen. “Aceita que dói menos. A faixa é da Ellen, querida. Ela é a campeã”.

Em 2018, o concurso contou com a participação de quinze candidatas –de transexual a policial militar–, que tinham entre 100 e 125 centímetros de quadril. Segundo a organização do evento, a vencedora assinará contratos publicitários em torno de R$ 50 mil.

Em 2016, o prêmio foi conquistado por Érika Canela, a primeira candidata negra a vencer o Miss Bumbum. No ano seguinte, Rosie Oliveira foi quem venceu a disputa.

Disputa acirrada

Primeira finalista trans, a modelo e dançarina Paula Oliveira, de 27 anos, ficou em terceiro lugar no concurso. “Para mim, foi uma honra ter participado do Miss Bumbum e levar a questão LGBT para o mundo inteiro”, comemorou a candidata do Amazonas.

Já Flávia Tamaio, corretora de imóveis, de 20 anos e  110 cm de bumbum, representante do Distrito Federal, ficou em segundo lugar.

Fim do concurso

Mentor do Miss Bumbum, em 2011, o assessor de imprensa Cacau Oliver anunciou o fim do tradicional concurso, no qual aspirantes a modelo exibem os seus atributos grandes e, de preferência, naturais. O organizador justificou o fim da competição dizendo que já teria “cumprido o seu papel”.

O organizador afirma ainda que quer se dedicar a outros projetos, como o reality show “Criador de Celebridades”, que protagonizará no canal E!, e o documentário sobre os bastidores do Miss Bumbum.

Em sete anos, o concurso foi responsável por revelar várias subcelebridades, como as ex participantes de “A Fazenda” Andressa Urach e Lorena Bueri e a modelo Erika Canela, conhecida por tatuar uma imagem de Donald Trump nas costas.

Houve também alguns barracos ao longo desse tempo, como o dia em que Rosie Oliveira, vencedora na edição 2017, deu uma bofetada na cara de um homem que apalpou o seu bumbum.