Unidades prisionais registram cinco visitantes flagrados com ilícitos em final de semana de visitas - Fato Amazônico


Unidades prisionais registram cinco visitantes flagrados com ilícitos em final de semana de visitas

Durante o último fim de semana de visitas, nos dias 28 e 29 de abril, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou o flagrante de cinco visitantes com materiais proibidos, todos com entorpecentes, em três unidades prisionais da capital. No sábado (28/04), a Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) registrou três das cinco ocorrências, e no domingo (29/04), o Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) e Penitenciária Feminina de Manaus (PFM), registraram um flagrante em cada unidade.

De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, todos os visitantes flagrados no final de semana foram conduzidos às delegacias para os procedimentos de flagrante. “Entorpecentes são proibidos em unidades prisionais, e mais que isso, o porte de drogas e a tentativa de introduzir esse material nos presídios são classificados como tráfico”.

Os três visitantes flagrados na UPP no sábado foram: José Reis de Oliveira, que iria visitar o interno André Luiz Medeiros Vidal, da galeria 3 da unidade; Camila Gomes de Sá, cadastrada como visita do detento Rafael Donato Duarte, da galeria 2 da UPP; e Kátia Simone Ferreira, visitante do interno Denis Marcos de Almeida Pantoja, da galeria 1.

No CDPM, a visitante Paula Cristina dos Santos Colares foi flagrada enquanto dava entrada na unidade para visitar o interno Eliesio Machado Albano, do pavilhão 4 da unidade. Já na PFM, o flagrante ocorreu com a visitante Clenine Rodrigues Moraes, cadastrada como visita da interna Juliane Carvalho Nascimento.

Nas ocorrências foram apreendidos mais de 1 kg de maconha, 50g de cocaína e mais sete trouxinhas de maconha. Todos os visitantes passaram pelos procedimentos de revista para adentrarem nos presídios, e os entorpecentes foram detectados escondidos nas partes íntimas dos flagranteados durante revista no body scan, o scanner corporal presente em todas as unidades prisionais.