Manacapuru – As pessoas que tem procurado o cartório eleitoral de Manacapuru para recadastramento biométrico, continuam enfrentando problemas para conseguirem a regularização com a Justiça. Hoje, não são apenas as filas as dificuldades que os cidadãos tem, de acordo com denúncia recebida pelo correspondente do Fato Amazônico, no município, os eleitores estão tendo de desembolsar para os guardadores de vagas que ficam à noite e madrugada na fila a quantia de R$ 20,00 ou até R$ 25,00.

Fotos divulgadas na semana passada aqui no Fato Amazônico, levaram o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, desembargador Flávio Humberto Pascarelli, a Manacapuru, onde esteve reunido com a juíza Patrícia Macedo Campos. No encontro ficou decidido que o horário de atendimento que era até às 14h, aumentaria para às 18h. O prazo para o recadastramento também que era até o dia 28 de fevereiro foi prorrogado para o final março, mas de acordo com os moradores os problemas continuam.

“Estou aqui. Vamos resolver esta situação e é, por isso, que estou determinando que sejam feitos esses ajustes. Peço empenho pessoal da juíza eleitoral de Manacapuru Patrícia Macedo Campos e do chefe do Cartório da 6ª zona eleitoral para coordenar essas ações”, disse Pascarelli, durante a visita.