O vereador Bessa (Solidariedade) usou a tribuna da Câmara Municipal de Manaus para criticar a liberação de crédito e R$ 500 mil da Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) para empreendimento de pequenos negócios de presos que deixam o sistema carcerário fechado para o semiaberto.

De acordo com o vereador no ano passado, a Afeam iniciou um processo para liberar crédito para taxistas. Porém, com a mudança de governo, a equipe de transição em dezembro bloqueou o pagamento dos veículos que já estavam no pátio.

O parlamentar informou que assim que virou o ano o Sindicato dos Taxistas procurou o governador do estado, Wilson Lima, mas ele não atendeu a categoria e mandou um assessor. “O assessor disse que o financiamento dos taxistas não era prioridade para seu governo”, declarou.

O vereador disse que o governador não recebeu o Sindicato dos Taxistas, mas recebeu o “sindicato do crime”. “Não quero acreditar que esse empréstimo aos presos seja uma promessa de campanha porque o governo que foi cassado também fez esse pacto com eles (os presos)”, alfinetou o parlamentar, afirmando ser uma irresponsabilidade sem tamanho deixar de lado uma categoria trabalhadora sem o seu principal método de sustento para agraciar presidiários. “Sei da importância da ressocialização, mas há outros meios dela ser trabalhada”.

Segundo o parlamentar, a iniciativa ocorre em hora inoportuna, pois há questões mais importantes a serem resolvidas pelo governo do Amazonas.

“Não posso fechar os olhos para o caos que vive o Estado. Enquanto o governo incentiva presidiários, os profissionais da área de saúde clamam por melhores condições e pagamento de seus salários atrasados. Dessa maneira fica difícil de não criticar”, completou.

Confira