A comerciante Icléia Pessoa Rego (PTN), 36 anos, eleita vice-prefeita de Tefé, depois de rachar com o prefeito Antenor Paz (PSD), resolveu disparar contra seu ex-aliado e afirmar que a eleição de 2012 foi ganha graças a compra de votos. A briga começou quando ela exonerou a primeira dama Tereza Cristina Paz.

Foram as denúncias de Icleia, que levaram os advogados Daniel Fabio Jacob Nogueira e Marco Aurélio de Lima Choy, do segundo colocado o pleito Jucimar de Oliveira Veloso, o “Papi” a pedirem na sexta-feira passada o adiamento do julgamento do recurso eleitoral captação ilícita de sufrágio, abuso de poder econômico, com pedido de cassação de diploma, perda de mandato eletivo e declaração de inelegibilidade movido contra o prefeito.

Para dar continuidade a suas denúncias contra o prefeito, Icléia, vai protocolar representação ao Ministério Público do Estado, pedindo a formação de uma força tarefa para investigar as irregularidades existentes na administração de Antenor Paz.

O prefeito e a esposa atualmente que ocupam três secretarias no município, Planejamento, Administração e Finanças, são acusados pelos crimes de favorecimento em licitações, perseguição aos funcionários públicos e desvio de verbas na área da saúde, enriquecimento ilícito, além da compra de votos nas eleições de 2012 e promessas de emprego por troca de votos.

Exoneração levou ao racha

De acordo com a vice, a primeira dama foi exonerada por ela ter prometido na campanha do esposo, o prefeito Antenor Paz, emprego as mães de Tefé, emprego e e ajuda de R$ 30, R$ 50 e R$ 100.

“As pessoas no nosso município são carentes, humildes e necessitadas. Aqueles pais de família acreditaram sim. Até então é uma mulher. O comprometimento e uma palavra de uma mulher. Ela se comprometeu em conseguir empregos. E resolvendo a situação financeira naquele momento. Ela entrava nas residências com algumas pessoas e ali repassava dinheiro. Quando não passava no momento passava no dia seguinte e entregava (o dinheiro) a essas senhoras”, afirma.

Icléia, disse que a atitude da primeira dama lhe envergonhou e ela resolveu depois de assumirem a administração do município, chamar a esposa do prefeito para conversar, mas ela não deu ouvido e começaram as demissões na prefeitura.

“Em janeiro começaram as exonerações. Em fevereiro houve contratações. De dois em dois meses aconteciam novas demissões”, disparou, afirmando que assim ao assumir no lugar do prefeito, resolveu exonerar a primeira dama da secretaria de finanças. “Na minha concepção ela é corrupta e corruptora”.

De acordo com a vice, se não fosse a compra de votos as eleições em Tefé, teriam um outro resultado nas urnas e o atual prefeito teria perdido.

Icléia, disse que a exoneração da primeira dama, lhe custou algumas represálias, uma delas imposta pelo secretário da Casa Civil, que proibiu a sua entrada com na prefeitura do município.

Prefeitura fechada com cadeado

“Fecharam a prefeitura com cadeado. Me intimidaram, assim como eles fazes com os pais de família da cidade de Tefé”, disse a vice, afirmando que os vereadores deveriam assumir os papéis e fiscalizar todas a administração de Antenor Paz.

A vice, disse está muito preocupada com suas denúncias contra a administração do atual prefeito, a qual compõe a chefia do executivo, por está sendo ameaçada e perseguida.

“O prefeito já disse na rádio que colocar pessoas para me seguir por 24 horas. Mas, isso não vai me frear, não me falta coragem para continuar minhas denúncias”, concluiu, afirmando não ter medo das ameaças do prefeito.


Veja o vídeo com as denúncias