Vice-prefeita de Tefé, que denunciou compra de votos nas eleições, é agredida moralmente por assessor do prefeito - Fato Amazônico

Vice-prefeita de Tefé, que denunciou compra de votos nas eleições, é agredida moralmente por assessor do prefeito

Tefé – A comerciante, Icléia Pessoa Rego (PTN), vice-prefeita de Tefé, que rachou com o prefeito Antenor Paz (PSD), depois das denúncias de que a eleição de 2012 foi ganha graças a compra de votos, vem sendo perseguida DESE ENTÃO. Ontem, ela foi agredida moralmente com palavras de baixo calão pelo assessor do chefe do executivo, André Rodrigues, o “Metal”.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Icléia Pessoa, chegava em sua casa, localizada na rua Tamuana, no bairro do Mutirão, em Tefé, quando foi abordada por André Rodrigues, irmão do presidente da Câmara Municipal, vereador João Paulo Rodrigues, que a chamou a “vagabunda”.

De acordo com Icléia, Metal disse ainda “que fosse trabalhar e parasse de sacanear o prefeito”. A vice-prefeita registrou a ocorrência de difamação contra André Rodrigues, na Delegacia Interativa de Polícia Civil de Tefé.

Icléia Pessoa, disse que desde fez as denúncias contra o prefeito Antenor Paz, que é do partido do ex-governador Omar Aziz, não parou de sofrer represália das pessoas do grupo do chefe do executivo.

A vice-prefeita disse que, para receber seus vencimentos teve de recorrer ao Tribunal de Justiça do Amazonas, onde conseguiu liminar em mandado de segurança para que o prefeito voltasse a efetuar o pagamento de seus vencimentos, suspensos desde fevereiro deste ano.

A liminar foi dada pelo desembargador Wellington José de Araújo, das Câmaras Reunidas do Tribunal, que determinou ao prefeito Antenor Paz, que em 24 horas efetuasse o pagamento dos salários vencidos da vice-prefeita e que comprovasse nos autos em 48 horas o cumprimento da medida judicial.

O desembargador determinou ainda que, o prefeito se abstenha da prática de quaisquer atos que importem na imotivada suspensão do pagamento dos salários mensais de Icléia Pessoa.

O racha

De acordo com Icléia Pessoa, o racha com o prefeito Antenor Paz, ocorreu quando ela exonerou a primeira dama, Tereza Cristina, por ela ter prometido na campanha do esposo, o prefeito Antenor Paz, emprego as mães de Tefé, emprego e ajuda de R$ 30, R$ 50 e R$ 100.

A vice disse que, a atitude da primeira dama lhe envergonhou e ela resolveu depois de assumirem a administração do município, chamar a esposa do prefeito para conversar, mas ela não deu ouvido e começaram as demissões na prefeitura.

Icléia, garante que se não fosse a compra de votos as eleições em Tefé, teria sido outro resultado nas urnas e o atual prefeito Antenor Paz, teria perdido.