Wilker Barreto vai ao MPE levar contratos de sua gestão para investigação - Fato Amazônico


Wilker Barreto vai ao MPE levar contratos de sua gestão para investigação

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Wilker Barreto (PHS), levará ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), na próxima segunda-feira (21), todos os contratos de sua gestão para que sejam investigados por aquele poder. A decisão foi tomada pelo parlamentar após abertura de procedimento preparatório n.039.2018.000105 – 13 PRODEPP – pelo MPE-AM sobre a compra de torneiras de pressão para a Casa Legislativa. “Acredito 100% na imparcialidade e lisura do Ministério Público e por essa razão faço questão de levar todos os contratos da Câmara para devida análise”, adiantou. A iniciativa de Barreto recebeu apoio unânime dos vereadores presentes em plenário.

Barreto fez questão de utilizar o grande expediente para prestar esclarecimentos à população e destacar sua confiança no corpo de profissionais técnicos do Poder Legislativo Municipal. “Tenho consciência do dever cumprido, o que me dá condições de vir à tribuna rechaçar qualquer pecha que queiram colocar na Câmara, principalmente o de não ter zelo com o dinheiro público. Não poderia me calar”, afirmou.

“Temos inúmeros feitos de uma casa irmanada no bem e não no conchavo. Confio nos servidores que me assessoram, na lisura de toda a equipe técnica. Se houver erro, a administração pública deve rever seus atos a qualquer momento, e caso tenha culpado não podemos prevaricar”, reforçou.

O presidente disse, ainda, que a Mesa Diretora, nesses quatro anos de sua gestão, dividiu com os vereadores cada ato administrativo, agiu com zelo, acabou com as horas extras, realinhou sem exceção todos os contratos. “Cortamos desde o leite do cafezinho, baixamos em 50% as diárias, fizemos o Plano de Cargos, Carreira e Salários dos servidores e no próximo mês vamos pagar R$ 1 milhão em cota única a URV. E já tenho minhas contas de 2015 aprovadas pelo Tribunal de Contas”, afirmou.

Sempre reafirmando sua confiança na Comissão de Licitação da Casa Legislativa, Wilker Barreto, disse que nesse episódio, o que causa estranheza é a intenção de macular a Câmara, como se não tivesse compromisso com o dinheiro público. “Não tenho dúvidas, deposito minha confiança na Comissão de Licitação. Não tem o menor perigo no que diz respeito a essa questão. Não é porque o valor é pouco não, porque com dinheiro público, de R$ 1 real a R$ 1 milhão tem que ter seriedade. Fazer comparativo de preço de mercadoria para o preço que é oferecido ao serviço público é uma maldade. Ou podemos sair da CMM com um cheque e comprar qualquer tipo de material na boca do caixa?”, questionou.

O presidente da Casa Legislativa adiantou que está solicitando audiência com a presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Iara Lins, pois a Câmara está finalizando a licitação do Anexo do Poder e pedirá a ela que essa obra seja auditada em tempo real. “Só vou pagar se for auditada. Se tiver que ser investigada tem que ser no momento. Graças a Deus estou sendo notificado agora para que eu possa corrigir o que estava pendente”, assegurou o presidente, ao deixar claro que abriu sindicância para apurar a denúncia da compra das torneiras, efetivada há dois anos. “Se tem uma administração que se preocupa com o erário é essa Mesa Diretora. E tenho ações que comprovam isso. Por isso vou pedir ao Tribunal de Contas que auxilie a gente na construção do anexo”, disse Barreto.Apoio

Durante o seu pronunciamento, Wilker Barreto recebeu apoio unânime dos vereadores, tanto da base aliada quanto da oposição.

O parlamentar Marcelo Serafim (PSB) disse estar surpreso do quanto a imprensa se preocupa com isso. “Em uma gestão extremamente transparente em que efetivamente, eu como vereador de oposição, me sinto parte, porque em todas as vezes que cheguei pedindo informações sempre fui atendido com transparência e lisura, honestidade e decência. Tenha na voz deste parlamentar a sua total confiança”, disse.

Gilvandro Mota, por sua vez, apoiou Marcelo Serafim ao seu discurso e se disse indignado. “Não podemos permitir, que em nome da moralidade pública, se mostrar indignado e que a verdade sabida se transforme em uma verdade sabida, em uma verdade fática”, assegurou.

Chico Preto (PMN) também elogiou o comportamento do presidente. “É o que esperávamos. Pegar toda a documentação e esclarecer o assunto. É um posicionamento firme, frontal. É o melhor caminho. Quero reconhecer a atitude de V.Exa. no sentido de trazer luz sobre o assunto, esclarecer sobre a questão e deixar claro que você, como gestor não está livre de questionamentos”, disse.

Sassá da Construção Civil (PT) também prestou solidariedade a Wilker Barreto. “Quem não deve não teme e o senhor ao pedir para ser investigado está dando exemplo. Tem o apoio de 100% da Casa. Parabéns por mostrar que a Casa não deve a ninguém”, disse.

Plínio Valério (PSDB) elogiou a indignação do presidente na defesa de sua administração, assegurando que ‘a indignação é própria dos inocentes’. “Não permita que duvidem de sua gestão”, afirmou.