Wilson Miranda Lima, 42 anos, natural de Santarém (PA), é o novo governador do Amazonas com mais de 1 milhão dos votos contabilizados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em eleição de segundo turno realizada neste domingo histórico, 28.

Há 12 anos, o novo governador chegava a Manaus com um único projeto de vida: ocupar um espaço em um dos veículos de comunicação de Manaus, mesmo sem ser jornalista. Sonho realizado. Pouco tempo depois, Wilson Lima é contratado apresentador do programa Alô Amazonas, transmitido pela TV A Crítica, diariamente.

No comando do programa, Wilson Lima não só se destacou como apresentador mas, também, se manteve por 10 anos até o momento de se desincompatibilizar, por exigência da legislação eleitoral, no primeiro semestre deste ano, para realizar um segundo sonho que não trazia na sua velha, desbotada e puída mochila: o de ser governador do estado do Amazonas.

A popularidade alcançada a frente do combativo Alô Amazonas já se desenhava crescente já nos primeiros anos de atividade e, por insistente sugestão do imenso universo do telespectador, não tardou a despertar em Wilson Lima a ideia de concorrer a um cargo eletivo.

A dúvida era decidir o momento, a hora certa e o cargo que deveria concorrer. Cauteloso, antes de decidir pelo novo desafio, Wilson Lima realizou vários estudos de pesquisa com base científica se uma candidatura na atual conjuntura política era viável.

Ao aceitar o desafio, logo veio a primeira pesquisa Ibope de intenção de voto. O pré-candidato aparecia em segundo lugar, como 19 dos votos válidos, contra 29% conferidos a Amazonino Mendes.

Já como candidato oficial pelo PSC, coligação Transformação para um novo Amazonas, a segunda pesquisa divulgada pelo Ibope Wilson Lima deu um salto qualitativo de 19% para 32%, percentual que se distanciava por pequenos 3% dos 35% contabilizados pelo seu adversário.

No dia 7 deste mês, a vitória de Wilson Lima já não era novidade para ninguém e com 33,73% dos votos válidos se credencia para o segundo turno com o veterano Amazonino Mendes, que obteve 32,74% dos votos totalizados.

Durante atacado nos dois turnos pelo seu adversário, Wilson Lima enfrentou com parcimonioso equilíbrio toda sorte de vilania assacadas contra ele.

A eleição de Wilson Lima sepulta de vez, da história recente da política do Amazonas, a escola política comandada por Amazonino Mendes.

Eleito com mais de 58% dos votos contabilizados pelo TRE, Wilson Lima assume o governo do Amazonas com difícil tarefa de organizar a estrutura orgânica do estado, castigada pela incúria administrativa da velha escola que, ora, cede espaço aos ideais de um jovem político cheio de sonhos e com um rol interminável de promessas a serem cumpridas nos próximos quatro anos.

Que Deus abençoe e proteja o novo governo e o povo do Amazonas.