Divulgação/Governo do Estado do Amapá
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Todo o estado do Amapá estará sob lockdown a partir da terça-feira (19).  A medida foi anunciada, na sexta (15), pelo governador, Waldez Góes (PDT) e tem validade por 10 dias. Como o Congresso em Foco havia mostrado, no fim de Abril o estado já era um dos principais centros de avanço da pandemia no Brasil.

O funcionamento de serviços essenciais, como supermercados, atacadões, farmácias e bancos será mantido. “Tudo o que hoje funciona no Amapá continuará funcionando, não é esse o problema, o problema é o número de pessoas sem necessidade circulando nas ruas e se expondo a serem acometidas pelo vírus”, esclareceu o governador.

Em Macapá, na capital, a restrição da circulação de veículos também será adotada. “Nós vamos ser mais rígidos a partir das barreiras sanitárias da circulação dos veículos, alternando as placas ímpares e pares, fazendo o rodízio de veículos, fechando os logradouros públicos para a circulação de pessoas. Então, essa rigidez é necessária inclusive de acordo com a incidência do vírus”, detalhou o governador sobre o funcionamento do bloqueio.

De acordo com Góes, o isolamento mais rígido foi baseado em estudos científicos e adotado para evitar novos óbitos por covid-19. “Dados indicam que se nós não formos mais rígidos no isolamento social, daqui a 15 dias nós teremos entre 350 a 400 óbitos no Amapá”, afirmou.

Conforme dados atualizados ontem (14), o Amapá registrou 3.428 pessoas diagnosticadas com a doença e 101 óbitos por covid-19. O estado tem uma taxa de 405 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, de acordo com dados disponíveis no Painel Covid-19


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •