Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Falando sobre a Arena da Amazônia, nossa coluna resgata a auto estima do povo amazonense com o nosso futebol, é a valorização de nosso passado que vem com força total na busca de afirmação do futebol amazonense de volta ao cenário brasileiro dos tempos do grande clássico Rio Nal, onde famílias, torcedores e torcidas organizadas participavam com determinação na certeza de um grande futebol mostrado ao nosso povo.

Fotos – Elcimar Freitas

O Vivaldão era a apoteose dos times amazonenses, grandes clássicos, Campeonatos Brasileiros, além da Seleção Brasileira que veio a Manaus e o famoso jogo Fast e Cosmos que marcou gerações e a final da Copa Norte onde o São Raimundo, nosso Tufão foi tri campeão amazonense (1997/98/99), terceiro lugar na última edição da Conmebol em 1999 e vice-brasileiro (Série C) no mesmo ano, sem falar no Tri-campeonato da Copa Norte (1999/2000/2001) 04 de abril de 1999.

Todos os caminhos de Manaus pareciam apontar para apenas um local naquele dia: o Estádio Vivaldo Lima. 47.211 torcedores se espremiam nas arquibancadas, cadeiras e gerais do Vivaldão. Os responsáveis pelo 2º maior público da história do “finado” Vivaldão foram São Raimundo e Sampaio Corrêa, que decidiam a Copa Norte naquela tarde.

Novo momento desponta para o futuro, nossa Arena da Amazônia é o despertar de um novo ciclo que com certeza vai engrandecer nosso futebol e valorizar a região norte do país para o mundo do futebol. Nacional o nosso Leão da Vila e o Remo de Belém do Pará decidem a vaga da semifinal da Copa Verde. Vamos prestigiar e valorizar o futebol amazonense que segue firme em seu novo templo do futebol.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •