Divulgação/Adaf
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) tem intensificado as ações de fiscalização de trânsito agropecuário na Barreira de Vigilância Agropecuária (BVA), em Humaitá (distante 695 quilômetros de Manaus), mesmo diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A barreira fixa funciona como uma medida preventiva para averiguar o controle de trânsito de animais, produtos e subprodutos de origem animal, vegetais e suas partes, visando controlar doenças e pragas, rastreabilidade e mesmo roubo de animais.

As equipes de fiscais da Adaf têm realizado a abordagem de cargas que transitam com animais, produtos de origem animal e vegetal, no sentido de verificar as documentações obrigatórias, além de orientar os condutores a executar o trânsito legal dessas cargas.

“As atividades diárias da BVA não pararam nenhum dia diante da pandemia. Estamos seguindo todas as orientações do Ministério da Saúde e Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), haja vista que o nosso trabalho é essencial para assegurar o nosso patrimônio vegetal e animal. Os servidores estão usando os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) indicados para, assim, garantir a segurança de todos nós”, comentou Nislene Molina, engenheira agrônoma e responsável pela Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav), da Adaf, em Humaitá.

Divulgação/Adaf

Os documentos exigidos pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas em consonância com as legislações específicas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento são a Guia de Trânsito Animal (GTA) e a Permissão de Trânsito Vegetal (PTV). Estes documentos devem ser apresentados pelos condutores que trafegam com animais e produtos oriundos de outras regiões, bem como a nota fiscal.

Integração- “Gostaria de agradecer e reconhecer a dedicação dos servidores da Adaf na condução dos nossos serviços prestados à sociedade. Além de destacar também a integração da Adaf com a Sefaz/AM (Secretaria de Estado da Fazendo do Amazonas), a prefeitura de Humaitá, a SFA/AM (Superintendência Federal de Agricultura do Amazonas), a Polícia Rodoviária Federal e outros parceiros. Essa integração tem permitido ações conjuntas de educação sanitária, fiscalização de trânsito de animais e vegetais e de apoio ao combate à pandemia causada pelo Covid-19”, destacou o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

Além da BVA, a Adaf disponibilizou também a sua Unidade Móvel de Fiscalização Agropecuária para funcionar especificamente como barreira sanitária contra o Covid-19 na região de Humaitá. Este trabalho está sendo feito em parceria com a prefeitura local.

Barreiras – Atualmente, a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas executa atividades de fiscalização de trânsito agropecuário em quatro barreiras, sendo uma no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, uma em Jundiá (Roraima), uma em Parintins e também a de Humaitá. Ainda este ano, mais três BVA’s serão implantadas no Amazonas, especificamente nos municípios de Manicoré, Apuí e Novo Aripuanã.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •