Reprodução G1
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Federação de Tiro de Mato Grosso (FTMT) confirmou que a adolescente de 14 anos que matou acidentalmente a amiga com um tiro na cabeça na noite de domingo (12), em Cuiabá, é praticante de tiro esportivo há pelo menos três anos. O pai dela, Marcelo Martins Cestari, de 46 anos, também pratica o esporte.

Segundo a federação, o pai e a menina participavam das aulas e de campeonatos há três anos. Os nomes deles constam nos grupos, chamados ‘squads’, que participavam das competições da FTMT. Outros membros da família também participavam desses grupos e praticam o esporte.

A vítima, Isabele Guimarães Ramos, também de 14 anos, foi atingida por um tiro na cabeça no condomínio de luxo onde ela morava. Ela foi encontrada no banheiro da residência e já estava morta.

A respeito do incidente, o presidente da Federação de Tiro de Mato Grosso, Fernando Raphael Oliveira, lamentou o que aconteceu.

“O fato ocorrido foi uma tragédia fatal para ambas as famílias. Foi um acontecimento isolado, onde todos serão devidamente responsabilizados e o devido processo legal já está e será cumprido pelas autoridades competentes. Não nos cabe especular maldades, responsabilizar pais, ou julgar o esporte. O importante é respeitar a dor de todos”, diz.

Segundo informações do Catraca Livre, a polícia encontrou sete armas na casa da família, sendo que duas delas não tinham registro. Por conta disso, o pai foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Marcelo Cestari foi conduzido à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e autuado pelo crime. Ele pagou o valor da fiança, que não foi divulgado pela Polícia Civil de Mato Grosso, e foi liberado em seguida.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •