Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Recife, PE… [ASN] Na última quinta-feira, 26, na Região Metropolitana de Recife, choveu mais de 30% do que era previsto para o mês inteiro. A chuva forte trouxe diversos transtornos, como alagamentos, metrô quebrado e muito engarrafamento, além do quase cancelamento da partida do dia pela Copa do Mundo na Arena Pernambuco. Foi nesse cenário que os adventistas se misturaram aos torcedores do mundo inteiro para distribuir revistas do projeto Quebrando o Silêncio em inglês que combatem o turismo e a exploração sexual.

“Olha, é em inglês”, admirou-se um dos torcedores americanos, que recebeu a revista rapidamente enquanto passava pela catraca do metrô. “Essa foi a nossa motivação”, explica o pastor Edson Bezerra, responsável pelo grupo da igreja do Arruda, na capital, que saiu para distribuir os exemplares. “Por isso nos planejamos para que fosse exatamente hoje, no dia mais movimentado e esperado, e mesmo com chuva, viemos”, sublinha Bezerra. “Justamente com o tema tão pertinente como o Turismo Sexual, precisa ter um alcance maior. Afinal, esse não é um problema só do Brasil, é uma dificuldade encarada em todo o mundo.”

A universitária Cláudia Moura, de 19 anos, participou da distribuição. Antes de chegar ao local, ela pensou como iria abordar os turistas e elaborou o que iria falar. Mas na hora da entrega precisou usar o inglês muito mais do que pensava, já que a curiosidade apareceu. “Alguns receberam tranquilamente, ficaram agradecidos, outros, claro, estavam muito apressados e rejeitaram. Mas um senhor de Israel e um torcedor da Califórnia pararam para conversar. Eles olharam o material e ficaram impressionados com a nossa trágica realidade de violência e turismo sexual e que sabiam que tinha muito disso no Brasil”, conta.

Distribuição estratégica

Cláudia, com seu amigo Adan Bezerra, estava distribuindo as revistas na parada dos ônibus BRTs, que são transportes expressos que ligam o centro do Recife à Arena Pernambuco, sem nenhuma parada no caminho – cerca de 25 quilômetros de percurso. Os veículos começaram a funcionar justamente por causa da Copa, e por isso, só quem tem bilhete das partidas na mão podem comprar as passagens e entrar nessa estação, que tem como ponto de chegada a área de desembarque de torcedores da FIFA – que fica dentro do perímetro de 2 quilômetros, onde ninguém, sem bilhete de acesso ao estádio pode entrar nos dias de jogos. A dupla foi autorizada a entrar na parada, no centro do Recife, para que a ação pudesse ser registrada para uma reportagem da TV Novo Tempo, mas quando eles entraram no BRT para distribuir as revistas, a porta se fechou e, dali, só abriria na Arena Pernambuco.

“Entendemos como uma oportunidade. Estávamos no lugar com a maior concentração de torcedores”, analisa Bezerra. Com a amiga, eles distribuíram todas as revistas que na porta do estádio, quando em outra situação não seria possível. “Tivemos que esperar o jogo acabar para voltar pra casa, mas valeu a pena! Estávamos sem guarda-chuva e com pouco dinheiro pra voltar. Foi um incidente que acabou sendo muito bom no final das contas”, complementa Cláudia. O grupo repete a ação, que faz parte das mobilizações do projeto #EsperancaBrasil, no próximo domingo, na FIFA Fan Fest Recife, quando a Costa Rica enfrenta a Grécia pelas oitavas da final – o último jogo da Copa do Mundo na Arena Pernambuco. [Equipe ASN, Rebbeca Ricarte]


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •