Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) criticou na quinta-feira, 10, a política de gastos da Agência de Fomento do Estado (Afeam), que vem deixando de usar metade dos R$ 100 milhões anuais do Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (FMPES). Parte do dinheiro, destinado a fomentar o empreendedorismo local, será remanejada para o pagamento do 13º salário do funcionalismo púbico estadual.

“A Afeam não é banco para guardar dinheiro, é um banco de financiamento. A Afeam não consegue gastar esses R$ 100 milhões para fazer os empréstimos, via de regra, gasta em torno de 50%. Os outros 50% vão para investimentos no mercado financeiro e isso vem se acumulando ao longo do tempo. Isso é muito ruim para a economia do Estado”, afirmou o parlamentar.

Ricardo Nicolau, que preside a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), cobrou que a Afeam reformule seu planejamento para executar a totalidade do orçamento do FMPES. Para o deputado, não é viável que sobrem recursos para aplicações em títulos públicos e fundos de investimento enquanto micro e pequenos empresários amazonenses dependem de novos investimentos.

“Nesse caso específico, eu prefiro votar que o dinheiro seja usado aqui, injetado na nossa economia e que não seja usado pelo Governo Federal”, justificou o parlamentar, votando em favor do remanejamento dos recursos. “Não dá para ter R$ 100 milhões e só utilizar R$ 50 milhões, que poderiam ser investidos em empreendedores da capital e do interior”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •