Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A concessionária Águas de Manaus, realizou nesta quarta-feira (21), o seminário de “Universalização do Saneamento: Desafios e oportunidades”, o evento aconteceu na nova sede da Águas de Manaus, no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul; e também contou com a presença do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, como um dos palestrantes.

Além do prefeito de Manaus, o evento contou com palestras do diretor-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos; do professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Egon Bockmann, e do diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis. Com a presença de personalidades nacionais, especialistas do setor e autoridades locais; o objetivo do seminário foi mostrar a importância do tema e discutir com a sociedade os desafios para melhorar os índices de saneamento na cidade.

Seminário de Saneamento básico na Águas de Manaus. Foto: Rebekah Fontes/Fato Amazônico

Referência nacional do setor, o diretor-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, apresentou a palestra “Ganhos Sociais e econômicos da expansão do saneamento no Brasil.”

“O saneamento é a infraestrutura mais transversal, ajuda a cidade e as pessoas de várias áreas. Eventos assim são fundamentais para dar transparência à situação deste assunto à sociedade. As pessoas precisam conhecer mais do tema, até para cobrar esta infraestrutura tão importante, mas tão esquecida.”, argumentou Édison.

Diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis.

Durante o seminário, o diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis, falou sobre o trabalho e as melhorias que a concessionária realizou em um ano de atuação na cidade, além de mostrar alguns dos projetos que serão implantados para ampliar os serviços de água tratada, e coleta e tratamento de esgoto na capital amazonense.

Medicis também anunciou que a cidade conta com 20% de cobertura de esgotamento sanitário “vai saltar para 80% até 2030 mediante investimentos da concessionária da ordem de R$ 3 bilhões dentro dos próximos anos para melhorar a qualidade de atendimento”.

Foto: Rebekah Fontes/Fato Amazônico

O prefeito de Manaus foi enfático ao dizer sobre o projeto à longo prazo. “Nós temos o projeto firme de chegar há 2030 com 80% de esgotamento sanitário efetivo, incluindo, claro, o crescimento vegetativo da cidade que é muito grande.” O prefeito deu o exemplo da cidade de Palmas (TO), que tem 100% de esgotamento sanitário e disse que a cidade deve caminhar nessa direção.

“Precisamos caminhar nesse exemplo e nessa direção, para termos uma cidade que seja digna das pessoas que nela vivem e das inúmeras pessoas que de fora, vem para cá, se encantam com ela e ficam aqui de vez. Escolhem Manaus como lugar onde sofrerão, amarão, sorrirão, perderão, ganharão e construirão junto conosco uma civilização que é um milagre.”, disse Arthur Neto.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •