Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) defendeu o aumento dos investimentos em políticas públicas voltadas para pessoas com deficiência no Amazonas. A fala se deu durante a Sessão Especial alusiva ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, realizada nesta segunda-feira, 23 de setembro, no plenário Ruy Araújo da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Em seu pronunciamento, Alessandra reconheceu que o Poder Público ainda está longe de atender as necessidades básicas para as pessoas com deficiência, citando o exemplo das dificuldades que essa parcela da população enfrenta em relação à acessibilidade e à garantia de acesso a direitos fundamentais, como educação, saúde, trabalho, previdência social, lazer e segurança.  

“Infelizmente o nosso Estado e nosso País ainda são muito deficientes. A gente tem dificuldade na acessibilidade, mas essa deficiência não é somente na locomoção, não é só no direito de ir e vir, mas também no acesso aos direitos fundamentais”, disse a vice-presidente da Assembleia Legislativa.

Para a deputada, as políticas públicas devem levar em conta toda a sociedade, sem distinção. Na avaliação de Alessandra, esse novo modo de encarar a administração precisa tirar segmentos da invisibilidade social, entre eles mulheres e atletas com deficiência.

“A gente trabalha aqui o combate à violência contra a mulher, mas dentro do combate à violência contra a mulher a gente precisa ter o combate à violência contra a mulher deficiente, porque ela também sofre a violência doméstica e com uma dificuldade muito maior de se defender”, disse Alessandra, questionando em seguida: “Será que o aparato de apoio, a rede de proteção à mulher está preparada para receber a mulher que sofre violência e é deficiente?”.

Alessandra finalizou seu discurso defendendo um olhar ampliado dos gestores públicos para as pessoas com deficiência. No caso do esporte, a ex-secretária da Sejel acredita que os investimentos devem começar nas escolas públicas, com aulas sendo ministradas por profissionais de Educação Física capacitados para atender os atletas com deficiência.

“Em todas as áreas das políticas públicas a gente precisa atender a todas as pessoas, e a gente precisa olhar o que está invisível. Um exemplo é a situação dos atletas, pois não adianta fazer política pública para desenvolver o esporte se não tiver política pública específica para o atleta deficiente. É preciso que as escolas atendam as crianças com deficiência e que elas possam ter acesso à educação física e à prática desportiva”, concluiu Alessandra.

A Sessão Especial em homenagem ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi uma propositura das deputadas Alessandra Campêlo (MDB), Dra. Mayara (PP), Therezinha Ruiz (PSDB) e Álvaro Campêlo (PP).


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •