Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) foi condenado pela Justiça de São Paulo a indenizar o bancário Gerson Florindo de Souza, ex-presidente do PT de Ubatuba, por ter divulgado informações falsas contra ele.

Durante as eleições de 2018, o ator gravou um vídeo em suas redes sociais afirmando que o petista se disfarçou de eleitor de Jair Bolsonaro e entrou numa igreja em Brasília para atacar e xingar Fernando Haddad.

Hoje um crítico do presidente, Frota era aliado de Bolsonaro na campanha, situação que se manteve no início da gestão. O ator compartilhou o conteúdo com o título “A maracutaia do PT e de Haddad não funcionou”. “Vejam só aonde chega a canalhice desse partido. Ele se disfarçou para tentar culpar os seguidores de Jair Bolsonaro por esse papelão”, dizia Frota, no vídeo.

No processo, Florindo conseguiu provar que não estava em Brasília no dia em que ocorreu o fato. “É seguro que ele não possui o dom da ubiquidade”, ironizou a juíza Jane Franco Martins, da 40ª Vara Cível de São Paulo, fazendo referência a capacidade divida atribuída em conceitos religiosos de um ser ou entidade estar presente em toda parte.

Depois de romper com Bolsonaro, Frota disse na CPI das Fake News que o presidente protege e financia “terroristas virtuais”.

O deputado não apresentou defesa no processo. Ele terá de pagar uma indenização de R$ 50 mil a Florindo e publicar uma retificação em suas redes sociais. Frota ainda pode recorrer da decisão. (Revista Fórum)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •