Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aproximadamente 1 mil estudantes da rede estadual participaram, na tarde de terça-feira (19/11), da 9ª Caminhada de Conscientização Étnica Racial. Com o tema ‘A Expressão da Beleza Afro-Brasileira’, a ação teve como objetivo sensibilizar a população sobre a contribuição da cultura negra para a construção da sociedade brasileira. O evento foi organizado pela Associação de Capoeira Arte Revelação, com apoio do Governo do Amazonas, e faz parte de uma programação especial em alusão ao Dia da Consciência Negra, celebrado na quarta-feira (20/11).

Durante a ação, os participantes entoavam palavras de apoio à população negra, bem como explanavam sobre a história de personalidades negras importantes para o Amazonas. Os estudantes caminharam pela avenida Brasil e pelas ruas Natal, Prosperidade e Manaus. 

De acordo com o representante da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, Ciro Dantas, o Dia da Consciência Negra, na rede estadual, incorpora um calendário anual com rodas de conversa e debates – afim de fixar a data como atividade extracurricular fundamental para os alunos.

 

“Esta é a culminância de um ano inteiro de atividades transversais dentro da diversidade étnica. Nós viemos para este bairro, uma comunidade que vive problemas de violência, para trazer essa mensagem aos estudantes e conscientizá-los sobre uma uma data tão significativa para a Brasil”, destacou.

Para o representante da Coordenação Distrital de Educação (CDE) 4, João Batista Ribeiro, a caminhada promove a reflexão sobre o Dia da Consciência e sua contribuição para a Literatura, História e Ciência. “É importante não esquecer que a nossa cultura é miscigenada e, com isso, precisamos estimular os nossos estudantes a terem consciência da importância do povo negro na construção da cultura brasileira, para dar um basta ao preconceito e ao racismo, principalmente, no âmbito escolar”, disse.

A estudante Estaline Blanc, 16, falou sobre a reflexão com a história dos negros e a sua contribuição para o País. “Eu, como uma estudante negra, acho muito importante que iniciativas como essa aconteçam dentro das escolas, pois, mesmo que a gente perceba o quanto as coisas mudaram, é impossível não citar a quantidade de pessoas racistas e preconceituosas que ainda ocupam muitos espaços. Então, penso que toda e qualquer mobilização para trazer mais conscientização é primordial”, ressaltou.

O evento contou, ainda, com apresentações musicais de vários estilos, além do grupo Maracatu Eco de Sapopema.

Sobre a data – O Dia da Consciência Negra foi instituído pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data marca a morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, o maior quilombo da época do período colonial no País.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •