Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Começou ontem (27), a V Feira de Ciências da Amazônia (FCA), evento que faz parte das atividades da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, projeto do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Coordenado pela secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), o evento vem consolidando a parceria com as instituições das redes de ensino municipal, estadual e federal, propiciando, dessa forma, a ampla difusão das ações de CT&I no meio estudantil e na comunidade em geral.

A FCA é uma feira de ciência temática, promovida em parceria com a Associação Brasileira de Incentivo a Ciência (Abric), Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) e Secretaria Municipal de Educação (Semed), com o objetivo de estimular a inovação e a criatividade de alunos secundaristas por meio da ciência, inovação e da resolução de problemáticas da nossa região amazônica.

O evento irá dura até hoje.  os alunos apresentaram seus projetos para avaliação. Hoje (28) serão entregues as 17 credenciais aos projetos ganhadores. O evento irá premiar os alunos que se destacarem em suas categorias, além de fornecer credenciais para participações em feiras nacionais e internacionais.

Somente o Acre, Alagoas e o Piauí não fizeram parte do evento. Os estados com o maior número de atividades cadastradas são Minas Gerais, o Rio de Janeiro e São Paulo.

Preparação – Segundo Simara Abrantes, coordenadora institucional do PCE da Seduc-AM, os alunos estão se preparando desde julho para as apresentações dos projetos. “Foram 50 projetos inscritos, onde os alunos desde o começo já estão se programando para esses dois dias tão importantes. Vamos escolher os melhores projetos e levar 17 deles para as feiras nacionais e internacionais”, explica Simara.

Muitos alunos da esfera municipal, estadual e federal participaram dos projetos, alguns vindos do interior do Amazonas, como no caso dos alunos da Escola Estadual Senador Álvaro Maia, de Parintins. “Nós escolhemos um dos temas que nos dá muito orgulho, de Parintins, do nosso Estado do Amazonas. Fizemos um trabalho sobre a trajetória das alegorias parintinenses, mostrando suas mudanças e evoluções ao longo desses anos. Um trabalho de pesquisa que ficamos muito felizes em fazer”, explicou Adenilson Cardoso, um dos alunos do projeto.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •